Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 1 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Sanesul confirma que super poço está condenado e promete perfurar outro de imediato

O diagnóstico foi apresentado ao prefeito Ari Basso e ao secretário de Governo, Enelvo Felini, pelo próprio diretor comercial da empresa, Edgar Afonso Bento.

Flávio Paes/Região News

29 de Julho de 2013 - 22:41

Os técnicos da Sanesul que estiveram nesta segunda-feira em Sidrolândia  se convenceram de que o super poço da Rua Espirito Santo, que responde por 60% do abastecimento de água da cidade, está condenado e será preciso perfurar um novo poço para  pôr fim ao racionamento imposto à população há uma semana, quando começou a apresentar problemas.

O diagnóstico foi apresentado ao prefeito Ari Basso e ao secretário de Governo, Enelvo Felini,  pelo próprio diretor comercial da empresa, Edgar Afonso Bento, que os recebeu na tarde desta segunda-feira (29). Desta vez o super poço começou  a apresentar problemas na terça-feira passada, quando foi tomada decisão de substituir a bomba, que estava funcionando há menos de três meses.

No sábado a nova bomba foi ligada e aparentemente o abastecimento de água estaria normalizado após quatro dias de racionamento. No domingo, foi preciso desligar o equipamento porque junto com a água, veio à superfície uma grande quantidade de areia. Nesta segunda-feira foi colocada uma bomba com menor potência, reduzindo a vazão de 185 metros cúbicos por hora para 80 metros cúbicos, mas o problema se manteve.

Embora a Sanesul disponha de sete poços na cidade, com exceção deste que apresentou problemas,  todos funcionando a plena carga não produzem o suficiente para garantir os 380  metros cúbicos necessários para atender toda a população. Por isto, enquanto o novo poço  não ficar pronto (que exigirá um estudo prévio de prospecção e teste de vazão), a população continuará submetida ao racionamento com o rodízio de bombeamento.

 Neste sistema, todas as regiões de Sidrolândia ficam 11 horas (em dois períodos do dia, um de seis e a outra de cinco horas) sem receber água. Para atenuar o problema serão reativados  dois poços (na Escola Catarina e na Rua General Ozório, no São Bento), com capacidade para produzir 22 m³/hora, além de ser ampliada  a produção dos poços existentes no Posto Vacaria, no Seminário, Jardim das Paineiras e nos fundos do escritório da Sanesul.

Em quase três anos, esta já é a terceira vez que há necessidade de troca da bomba do super poço com interrupção do abastecimento de água. Em agosto de 2010, houve a primeira troca. No mês de outubro de 2012 foi feita uma manutenção e em seguida a troca do equipamento que funcionou até maio deste ano quando aconteceu a nova substituição.

Os problemas de abastecimento em Sidrolândia tem sido recorrentes, embora no final de 2009, a Sanesul tenha conseguido renovar por 30 anos o contrato de concessão, assumindo o compromisso de investir ao longo das três décadas R$ 32,7 milhões, R$ 6 milhões já em 2010. Por enquanto, praticamente nada se fez em termos de melhoria no abastecimento de água, além das seguidas trocas de bombas no super poço.

Não houve substituição da rede antiga, que continua apresentando muitos vazamentos, gerando transtornos, com a abertura de valetas  que danificam o asfalto. As obras de construção da Estação de Tratamento de Esgoto estão em andamento, com investimento de R$ 8,5 milhões. Em dezembro do ano passado foi assinada a ordem de serviço para implantação de 838 metros de rede (ao custo de R$ 254,8 mil) que atenderão os novos conjuntos habitacionais.