Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 30 de Novembro de 2020

Sidrolandia

Seguradora vai pagar reparo na ponte do Rio Paraguai atingida por barco

A inspeção subaquática, deve acontecer apenas a partir do fim de outubro por conta da cheia do Rio Paraguai

Campo Grande News

02 de Setembro de 2014 - 14:31

Serão pagos pela seguradora da concessionária Porto Morrinho os custos de reparo da ponte atingida por um barco empurrador, há uma semana, na região de Porto Morrinho, em Corumbá, a 419 quilômetros de Campo Grande. Segundo o diretor técnico da concessionária, Wolney Freire, o laudo preliminar dos técnicos que fizeram vistoria no local será entregue pela perícia ainda nesta semana.

De acordo com Wolney, o laudo será discutido em reunião com a Seop (Secretaria de Estado de Obras Públicas e de Transportes) para que sejam definidos os próximos passos. “A concessionária não tem obrigação contratual de reparar a ponte, mas como a empresa tem apólice com a seguradora de risco operacional que cobre esse dano, nós já acionamos o seguro, que vai fazer o reparo necessário na ponte”, explicou o diretor técnico.

Com base nas informações passadas pelos técnicos que vistoriaram a ponte, a concessionária adiantou que no acidente com o empurrador paraguaio foram danificados o apoio da estrutura do pilar T4 e o outro extremo, no pilar T6. Esse último é o mesmo que foi afetado quando a ponte foi atingida pelo barco empurrador Doña Carmen, também de bandeira paraguaia, que transportava 16 barcaças de farelo de soja, em 2011.

Na avaliação da concessionária, o acidente da semana passada foi pior do que o de 2011, porque o barco atingiu um pilar secundário que não é de navegação, portanto não tem capacidade para suportar impacto tão forte. Naquela data, relata Wolney, a estrutura foi restabelecida por um grupo de especialistas, um deles o calculista, com especialização em estruturas danificadas, Fernando Relvas, que participou da última vistoria nessa semana.

A inspeção subaquática, deve acontecer apenas a partir do fim de outubro por conta da cheia do Rio Paraguai. Segundo a concessionária já foram pedidas à fábrica as peças, que estarão prontas em 20 dias e serão utilizadas na manutenção do pilar atingido.