Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 24 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Sem manutenção, maquinários viram sucata em Dourados

Diario MS

28 de Janeiro de 2011 - 07:45

O Diário MS flagrou essa semana algumas máquinas que estão paradas e sucateadas no pátio da prefeitura de Dourados. Segundo o secretário municipal de Serviços Urbanos, Tahan Sales Mustafa, o problema é antigo. “Quando entramos na administração a situação estava complicada. As máquinas não tinham manutenção, estavam paradas e sem consertos”, afirma.


O secretário diz que, aos poucos, conseguiu arrumar parte do maquinário e voltar ao trabalho, mas ressalta que a quantidade disponível para garantir a manutenção da cidade ainda é pequena. “Fomos consertando conforme nossa necessidade para darmos um atendimento razoável, mas é preciso estruturar melhor, ainda tem muito pouco maquinário”, diz Mustafa.


De acordo com o secretário, Dourados conta hoje com quatro pás carregadeiras (duas funcionando e duas em conserto); quatro patrolas (todas funcionando); sete caminhões (cinco funcionando, um em conserto e um aguardando empenho); uma esteira (em conserto); três tratores com roçadeiras (dois funcionando e um em conserto); e uma escavadeira hidráulica (funcionando).


Tahan Mustafa afirma que com o pouco tempo de trabalho não foi possível alterar totalmente o quadro, em parte pelo processo licitatório ou cotação de preços que precisam ser feitos, mas garante que a nova administração poderá corrigir os erros do passado. “Em pouco tempo que estamos aqui dá pra sentir que se tivermos condições de trabalho e se a parte de obras for bem estruturada há possibilidade de Dourados ficar linda”, enfatiza o secretário.


Nos pátios, a reportagem do Diário MS constatou que as máquinas sucateadas levam o símbolo da administração de Ari Artuzi (ex-prefeito do município), um indício de que elas eram usadas nos últimos anos e que acabaram se deteriorando por falta de manutenção adequada. “A maioria estava parada e estamos arrumando. Se estão paradas agora é porque já não tem mais conserto”, diz o secretário.

/>