Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Sem professor, alunos voltam para casa em Dourados

Dourados Agora

15 de Fevereiro de 2011 - 10:35

Estudantes da Escola Municipal Etalívio Penzo, no Parque das Nações II, estão sem professores. A mãe de uma aluna, Lucirene Ramos, conta que as crianças lotaram a sala, na manhã de hoje, à espera da professora que não chegou.

A diretora Creuza Ribeiro disse ao Douradosagora que nas séries iniciais, do 1º ao 5º ano, o problema é maior. Hoje, alunos de uma classe foram dispensados. Ontem, 230 estudantes do Ensino Fundamental, séries mais avançadas, também foram para casa. A diretora diz que a expectativa é que tudo volte à normalidade até amanhã. "Se faltar professor eu mesmo darei aula", diz.

O caso não é isolado. Dourados vem enfrentando problemas com a lotação devido ao excesso de cedências e licenças. Os serviços emergenciais adotados pela Secretaria de Educação para lotar os professores não atendeu todas as unidades escolares. A contratação de professores, segundo a Secretaria de Educação, deve ocorrer até amanhã.

Conforme noticiou o Douradosagora, o problema da falta de professores se estende a Centros de Educação Infantil (Ceims), como o Raio de Som, no Parque das Nações I, interditado ano passado. Sem condições de infraestrutura para atender as crianças, a unidade foi transferida de última hora para Igreja Batista, onde as instalações de sala de aula não estão prontas. Falta colocar forro, pintura e área externa. Entre as 77 crianças de 1 a 5 anos que serão atendidas no local, 37 vão permanecer em período integral. Elas terão aula em uma edícula da igreja dividida em quatro saletas, defronte para o sol. O banheiro fica na área externa.

Kelly Aparecida Moraes do Nascimento remeteu um email ao Douradosagora, esta manhã, contando que deixou o filho na escola Arthur Campos Mello, na Vila Cachoeirinha, às 6h40, porque não podia chegar atrasada no trabalho.

"Ele ficou sozinho até as 7h10 e foi informado que deveria voltar para casa pois não tinha professor. Meu filho tem apenas 6 anos, não deixo ele ir e vir sozinho da escola, mas devido a este acontecimento ele teve que descer sozinho...; levei até um susto quando recebi a ligação dele quando chegou na casa da minha mãe", conta. Ela acrescenta que ontem, quando iniciou o ano letivo, as aulas foram somente das 7h às 8h. "Até quando o povo será responsabilizado pela má administração publica?", questiona Kelly Aparecida Moraes do Nascimento. (*)

CONTRATAÇÕES

Na sexta-feira a prefeitura divulgou no Diário Oficial do Município a lista dos professores contratados. Pela Lei Orgânica, a prioridade de contrato é para profissionais que já possuem algum vínculo com a prefeitura, ou seja, são concursados por 20 horas/aula e podem assumir pelo contrato outras 20 horas/aula. Das vagas ofertadas mais de 80% são deles, estima Margarida Gaigher. As restantes são oferecidas pelo critério de classificação aos demais professores sem vínculo com a prefeitura.

O problema é que grande parcela dos concursados contratados para mais 20 horas/aula acabam pedindo licença de suas funções. Resta à Secretaria de Educação convocar novos profissionais. Apenas da Educação Infantil e das sérias iniciais existem 214 professores detentores de vagas puras que se encontram fora das salas. Alguns deles foram cedidos, mas a grande maioria é por licença médica.