Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 20 de Julho de 2024

Sidrolandia

Senado deve votar ampliação de vacinas oferecidas pelo SUS

Segundo o projeto, o SUS deverá oferecer os meios necessários para executar a vacinação

Agência Senado

30 de Agosto de 2010 - 17:08

O Sistema Único de Saúde (SUS) poderá ampliar o número de vacinas oferecidas atualmente às crianças, caso seja aprovado o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 5/09, que está pronto para ser votado pelo Senado.

O projeto inclui as vacinas contra hepatite A, meningocócica conjugada C, pneumocócica conjugada 7-valente, varicela e pneumococo no calendário básico de vacinação das crianças.

De autoria do deputado Alexandre Silveira (PPS-MG), o projeto recebeu parecer favorável sem emendas do senador Mão Santa (PMDB-PI), relator da matéria na Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

Segundo o projeto, o SUS deverá oferecer os meios necessários para executar a vacinação. Se ele virar lei, a obrigatoriedade dessas vacinas deverá começar no primeiro dia do exercício financeiro subsequente à data de sua publicação.

Ou seja, se sancionada e publicada em 2010, a lei passa a ter efeitos a partir de 1º de janeiro de 2011.

O autor da matéria justifica que essas vacinas são eficazes na redução da morbidade e mortalidade associadas a doenças como hepatite, meningite e pneumonia, entre outras. Atualmente, elas já são oferecidas pelo SUS para portadores de HIV, doenças pulmonares crônicas ou para quem vai se submeter a transplantes.

Na opinião do autor da matéria, ampliar o calendário do SUS deverá reduzir significativamente a mortalidade infantil no país. O senador Mão Santa também defendeu a medida, informando que as doenças pneumocócicas estão entre as que provocam mais mortes de crianças no mundo.

Vacinas

A vacina contra a hepatite A previne a inflamação do fígado causada pelo vírus HAV.

Pelo seu modo de transmissão, esse tipo de hepatite é típico de áreas menos desenvolvidas, com más condições de higiene e falta de saneamento básico, segundo os especialistas. Na maior parte do Brasil, a doença geralmente ataca crianças de dois a seis anos, mas pode ser contraída em qualquer idade.

A meningocócica conjugada C protege as crianças da bactéria meningococo C, que causa meningite principalmente em crianças de até quatro anos.

Dados demonstram que 60% das meningites - inflamação das membranas que envolvem o encéfalo e a medula espinhal - são causadas pela bactéria do meningococo C. A transmissão é feita de pessoa para pessoa por meio do beijo e secreções expelidas pela tosse, fala ou espirro.

A vacina pneumocócica conjugada 7-valente previne a pneumonia.

A quarta vacina previne a varicela (catapora), uma doença infecciosa e altamente contagiosa, causada pelo vírus varicela-zoster.

A quinta vacina combate o pneumococo, bactéria que pode causar doenças como meningite, septicemia (infecção generalizada) ou pneumonia grave, entre outros problemas de saúde.