Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 23 de Novembro de 2020

Sidrolandia

Senasp cria grupo para padronizar procedimentos de investigação e perícia

O Departamento de Pesquisa, Análise da Informação e Desenvolvimento Pessoal em Segurança Pública também irá coordenar o Grupo de Trabalho para padronizar procedimentos de perícia.

Campo Grande News

07 de Novembro de 2012 - 13:11

Para padronizar trabalhos de investigação e perícia, a Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública) criou Grupo de Trabalho específico.

De acordo com portarias publicadas na edição desta quarta-feira do Diário Oficial da União, departamentos da Senasp sob a coordenação do Departamento de Pesquisa, Análise da Informação e Desenvolvimento Pessoal em Segurança Pública, serão os responsáveis pela formatação dos procedimentos em investigação que serão utilizados pela Força Nacional de Segurança Pública.

Poderão ser chamados para auxiliar os trabalhos policiais da Polícia Federal e chefes da Polícia Civil. Conforme a portaria, o Grupo de Trabalho “ deverá propor uma padronização para os procedimentos operacionais mais comumente realizados pela Polícia Judiciária e levará em consideração os procedimentos já desenvolvidos pelos Estados e pelo Distrito Federal”.

O documento assinado pela secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Maria Filomena de Luca Miki, diz ainda que o Grupo de Trabalho “poderá produzir, se entender pertinente, roteiros e check lists”.

O Departamento de Pesquisa, Análise da Informação e Desenvolvimento Pessoal em Segurança Pública também irá coordenar o Grupo de Trabalho para padronizar procedimentos de perícia.

Poderão ser chamados para participar dos trabalhos a Polícia Federal, Colégio de Dirigentes dos Órgãos Periciais do Brasil, Associação Brasileira de Criminalística, Associação Brasileira de Medicina Legal e Federação Nacional dos Profissionais em Papiloscopia e Identificação.

O objetivo deste grupo é padronizar as seguintes situações: perícia em local de crimes violentos; medicina legal; balística forense; DNA,; informática forense; química forense e identificação criminal (papiloscopia).

Conforme as portarias, os grupos têm 120 dias para concluir os trabalhos. O prazo pode ser prorrogado.