Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 24 de Julho de 2024

Sidrolandia

Serra nega pressão política em afastamento de jornalistas

O PT-SP anunciou que irá pedir ao Ministério Público Eleitoral (MPE) que apure o afastamento de Priolli.

Terra

13 de Julho de 2010 - 15:22

O candidato à presidência da República José Serra (PSDB) negou na noite desta segunda-feira (12) que tenha havido interferência política na TV Cultura no afastamento dos jornalistas Gabriel Priolli, da direção de jornalismo da emissora, e Heródoto Barbeiro, da apresentação do programa Roda Viva.

"Eu não soube, eu nem sabia quem era o diretor (de jornalismo da TV Cultura). Aí você tem os twitters e os blogs sujos que vão espalhando (isso) na esperança de fazer pauta para a imprensa. Se tem algo que eu nunca tutelei, foi a TV Cultura. Ao contrário, é o governo federal que tem as suas emissoras usadas de maneira política muito clara", afirmou Serra em entrevista publicada no Blog da Bertha, do jornal O Estado de Minas.

De acordo com a emissora controlada pela Fundação Padre Anchieta e mantida pelo governo de São Paulo, Priolli foi remanejado para a vice-presidência de gestão da emissora. Já a saída de Heródoto do comando do Roda Viva é fruto, segundo a assessoria da emissora, da contratação da apresentadora Marília Gabriela feita no último dia 6 de julho.

Segundo informações veiculadas na imprensa, Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo nas edições de domingo e desta segunda-feira (12), Priolli teria sido afastado por sugerir reportagens sobre a cobrança de pedágios das rodovias do Estado. Já Heródoto questionou o candidato José Serra (PSDB) sobre as tarifas cobradas nas praças de pedágio nas rodovias durante o programa Roda Viva e ouviu o ex-governador paulista dizer que o jornalista entrava no "trololó petista".

A TV Cultura diz que Priolli estava dando apoio à direção de jornalismo após a saída repentina de Paulo Fogaça do cargo. Priolli, que fora contratado para o cargo de coordenador de expansão e rede da emissora, ficou dez dias na coordenação de jornalismo.

Recentemente o ex-secretário de Cultura do Estado de São Paulo, João Sayad, foi indicado para assumir a presidência da emissora. O PT-SP anunciou que irá pedir ao Ministério Público Eleitoral (MPE) que apure o afastamento de Priolli.

No Twitter, Priolli citou, em postagem do dia 8 de julho, trecho da música Deixa isso prá lá. "Deixe que digam, que pensem, que falem, deixa isso prá lá, vem prá cá, que é que tem? Eu não tou fazendo nada, você também...", escreveu.

O Terra tentou entrar em contato com o âncora das CBN Heródoto Barbeiro, mas até o momento da publicação da nota não houve retorno. Priolli disse que não poderia se manifestar.