Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 18 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Servidores rejeitam proposta de reajuste zero, pedem aumento parcelado e ameaçam entrar em greve

Eles mantiveram os 12% de aumento, mas agora aceitam dividir este percentual em três parcelas de 4%(nos meses de outubro, novembro e dezembro).

Flávio Paes/Região News

16 de Setembro de 2013 - 21:59

Foto: Rafael Brites/Região News

Servidores rejeitam proposta de reajuste zero, pedem aumento parcelado e ameaçam entrar em greve

Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Idemar Marcos durante assembleia geral

Reunidos em assembleia geral nesta segunda-feira à noite, os servidores municipais rejeitaram a oferta de 5% de reajuste a partir de 1º de janeiro. Eles não aceitam ficar sem aumento neste ano e deram um prazo de 72 horas para o prefeito responder  a nova contraproposta da categoria.

Eles mantiveram os 12% de aumento, mas agora aceitam dividir este percentual em três parcelas de 4%(nos meses de outubro, novembro e dezembro). Se a resposta for negativa, na sexta-feira já está marcada uma nova assembleia para aprovar a greve por tempo indeterminado a partir de segunda-feira, dia 23.

Os funcionários não se sensibilizaram com os argumentos do Executivo de que o reajuste pleiteado (12% retroativo a maio) é inviável porque os gastos com pessoal atingiram 55%, extrapolando o limite de 54%.  Insistiram na exigência de uma melhoria salarial ainda que de forma parcelada.

Nos últimos dois meses a Prefeitura já demitiu ou não renovou os contratos de 220 funcionários. O quadro de pessoal caiu de 2.321 para 2.101 funcionários. A negociação entre servidores e a Prefeitura vem se arrastando há duas semanas. Na semana passada, dia 9, eles fizeram manifestação em frente do Paço Municipal que atraiu aproximadamente 250 servidores.

A partir desta mobilização é que o prefeito assumiu o compromisso de responder por escrito nesta segunda-feira, a reivindicação salarial. A paralisação se estendeu pelo período da manhã, comprometendo o funcionamento de algumas repartições, especialmente na Secretaria de Infraestrutura, responsável pela manutenção das estradas da zona rural.