Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 5 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Servidores saem do encontro com prefeito sem proposta de reajuste e só promessa de estudos

Diante das dificuldades financeiras enfrentadas pela prefeitura, Ari Basso admitiu avaliar a concessão de um abono, se esta for uma alternativa legalmente viável

Flavio Paes /Região News

22 de Agosto de 2013 - 13:10

Foto: Natalicio Mello/Região News

Servidores saem do encontro com prefeito sem proposta de reajuste e só promessa de estudos

Os representantes dos servidores públicos municipais saíram da reunião desta quinta-feira com o prefeito Ari Basso sem resposta para a reivindicação da categoria de um reajuste de 12%. O prefeito recepcionou o grupo de forma muito educada, assinou o protocolo atestando o recebimento do documento e se comprometeu a encaminhar para um estudo da assessoria jurídica.Não ficou pré-agendado o próximo encontro.

Diante das dificuldades financeiras enfrentadas pela prefeitura, Ari Basso admitiu avaliar a concessão de um abono, se esta for uma alternativa legalmente viável. Também se avalia reajustes diferenciados conforme o nível salarial de cada categoria do funcionalismo. "Uma coisa é você conceder 10% para quem R$ 700,00 significa R$ 84,00. Já para aqueles que recebem R$ 10 mil, representam R$ 1.200,00 mil a mais", observa o prefeito. Cortar gastos é complicado.   O que se gasta, por exemplo,  com o transporte universitario, R$ 330 mil por mês, corresponde ao impacto de um aumento linear de 10% na folha. O problema é politicamente não há como cortar o transporte, cuja manutenção foi compromisso de campanha. 

O prefeito resiste a oferecer qualquer reajuste salarial ao funcionalismo, por menos que seja diante do risco de enfrentar dificuldade para manter a folha de pagamento em dia e até mesmo não ter caixa para o pagamento do 13º. Os repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) tem mantido a tendência de queda.

Além do corte de gastos com pessoal, está sendo avaliada uma reforma administrativa que reduza pela metade a atual estrutura de 10 secretarias. Não há ainda uma definição, mas há uma série de alternativas em análise como a fusão de três secretarias: Infraestrutura com Serviços Urbanos; Fazenda e Administração, além das Secretarias de Desenvolvimento Econômico e Desenvolvimento Rural.