Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 11 de Agosto de 2022

Sidrolandia

SPU diz que só entendimento entre ANTT e DNITT viabiliza aproveitamento de antiga esplanada

No caso de Sidrolândia, mesmo que eventualmente o ramal ferroviário seja reativado, o triângulo de reversão também poderia ter uma nova destinação

Flávio Paes/Região News

04 de Setembro de 2015 - 07:41

A transferência para a Prefeitura de Sidrolândia dos 14 hectares, localizados em pleno centro da cidade, reservado ao chamado triângulo de reversão (o pátio de manobras dos trens) é uma possibilidade viável, mas vem esbarrando nos desencontros entre dois órgãos federais que dividem entre si o controle da área.

Segundo o superintendente regional do SPU (Serviço do Patrimônio da União), Mário Sérgio Sobral, há pelo menos 15 anos a falta de entendimento tem impedido uma solução que garanta uma destinação social a este latifúndio urbano que hoje é entrave de expansão de uma área nobre da cidade.

Na avaliação do superintendente, que em princípio não vem a Sidrolândia participar da audiência pública no próximo dia 2  de outubro quando a questão está debatida, em outras cidades como Miranda, Corumbá e Três Lagoas, onde os trilhos atravessam a área urbana, o acordo já foi obtido. 

“Em Miranda, por exemplo, a área foi destinada a construção de casas populares”, explica Mário, embora o trem continue circulando.  Como só passa pela cidade em comboio para o transporte de minério de ferro, não faz manobras, nem  manutenção, não há necessidade de esplanada. Há situações complicadas, como a de Ponta Porã, onde mais de 700 entraram na área.

No caso de Sidrolândia, mesmo que eventualmente o ramal ferroviário seja reativado, o triângulo de reversão também poderia ter uma nova destinação sem comprometer a passagem dos trens. Já a proposta de uma rua, prolongamento da Rua Pernambuco e a urbanização do traçado dos trilhos para ser transformada em pista de caminha e ciclovia, só seria viável com a construção de um contorno ferroviário e a consequente retirada dos trilhos.