Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 17 de Janeiro de 2021

Sidrolandia

SUS qualificará profissionais para atender pessoas com deficiência

A ideia é que esses especialistas aprimorem conhecimentos no uso de novas tecnologias para a confecção e adaptação de órteses e próteses.

Web Rádio Saúde / Agência Saúde

31 de Dezembro de 2012 - 16:23

Para melhorar o atendimento às pessoas com deficiências, o Ministério da Saúde fechou parceria com a AACD, Associação de Assistência à Criança Deficiente de São Paulo, para qualificar profissionais que trabalham com órteses e próteses. No total serão 207 profissionais em todo País.

A ideia é que esses especialistas aprimorem conhecimentos no uso de novas tecnologias para a confecção e adaptação de órteses e próteses. As próteses são utilizadas para substituir membros ou articulações do corpo, já às órteses são aparelhos para auxiliar no deslocamento do dia a dia, como exemplo, as cadeiras de rodas.

A ação que faz parte do programa Viver sem Limite, do Ministério da Saúde, vai receber a partir do início de 2013, 348 mil reais para desenvolver a qualificação desses profissionais. Para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, o trabalho de reabilitação do cidadão com deficiência é fundamental.

O ministro fala ainda de outras ações que vão beneficiar pessoas com deficiência. "Primeiro lugar para formar profissionais que mexem com órteses e próteses, sobretudo no Norte e Nordeste do nosso País. Uma outra ação importante é a própria habilitação da oficina da AACD, com essa habilitação ela passa a receber mais recursos, padrão de qualidade de qualidade do Viver sem Limites e com isso pode formar profissionais de fora, mas também atender melhor os pacientes que aqui procuram aqui a AACD.

Além disso tem recursos para novos equipamentos, e uma nova iniciativa na parceria do Ministério da Saúde com a AACD é que hoje ela já utiliza um tipo de máquina, um tipo de equipamento para reabilitação física.

“E nós queremos utilizar a experiência da AACD para entender, demonstrar o beneficio que pode existir para todos os tipos de pacientes e aí com isso incorporar essa máquina no conjunto das unidades do SUS”. O Ministério da Saúde, em 2011, repassou cinco milhões de reais para zerar a fila de espera por uma cadeira de rodas e para a adaptação do paciente.

O recurso foi destinado à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, e utilizado pela AACD, Associação de Assistência à Criança Deficiente. A AACD também foi parceira com o Ministério da Saúde na elaboração das Diretrizes de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência.

O Ministério da Saúde por meio do programa Viver sem Limite tem como objetivo ampliar o acesso e a qualificação do atendimento às pessoas com deficiência, permanente ou temporária no SUS.