Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 26 de Maio de 2022

Sidrolandia

TV por assinatura é a 3º em queixas no Procon e usuários migram para internet

O servidor público alega ainda que já chegou a pagar R$50 a mais na conta, em razão das taxas aplicadas pela empresa.

Midiamax

19 de Novembro de 2015 - 15:09

Ocupando o terceiro lugar entre os assuntos mais reclamados no Procon/MS (Superintendência de Orientação e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul), o serviço de TV por assinatura tem provocado dor de cabeça a clientes por cobrança indevida e abusiva.  A situação tem motivado usuários a abandonar a programação televisiva e migrar para TV por streaming, na internet, como Netflix e YouTube e ainda os sites que pirateiam conteúdo.

Há dois anos com o serviço de TV a cabo, um servidor público, de 30 anos que preferiu não se identificar planeja desistir da empresa e aderir aos serviços na internet. Ele argumenta que a decisão é em razão dos problemas diários ocasionado pela assinatura. “Não há um mês em que não passe dor de cabeça com essa empresa. Toda fatura eles aplicam uma taxa diferente para elevar o valor do pacote”, aponta.

O servidor público alega ainda que já chegou a pagar R$50 a mais na conta, em razão das taxas aplicadas pela empresa. Segundo ele, “muitas vezes a fatura apresentou a cobrança de taxas diversas,  e ao entrar em contato com a empresa e realizar o questionamento,  os próprios funcionários não sabem explicar”.

Segundo estatísticas do Procon/MS, 2.659 reclamações foram registradas no período de janeiro a outubro deste ano. Destas 1.371, são em razão de uma cobrança indevida e/ou abusiva realizada pela empresa.

Em paralelo às reclamações, o número de adeptos ao TV por streaming vem crescendo e se tornando expressivos nos últimos anos.  Uma pesquisa realizada pela agência ComScore e divulgada neste mês, mostra que os serviços de TV por streaming, como Netflix e YouTube, superaram a TV aberta na América Latina. 

A Netflix funciona como um serviço de televisão por internet, que possui um vasto catálogo de filmes, séries, documentários e programas infantis com legendagens profissionais e conteúdos em Ultra HD, com preços acessíveis. O serviço tem disponibilidade em quase todas as plataformas, através do aplicativo que pode ser instalado em uma Smart TV, videogame, smartphone, tablet ou aparelho de straming. 

Ao total 8.376 pessoas de seis países foram entrevistadas. O resultado mostra que 70% veem TV aberta e 81% preferem plataformas de vídeo na internet.  No Brasil, por exemplo, 82% das pessoas utilizam com frequência serviços como YouTube ou Netflix, enquanto a Televisão somou 73% da preferência.

O serviço por streaming agradou a advogada, de 50 anos, que optou por não se identificar.  Ela explica que há mais de cinco anos assina um pacote de TV a cabo, e nos últimos três tem enfrentado muitos problemas, também em razão de taxas abusivas. “Se não prestarmos atenção na descrição da fatura, temos um prejuízo enorme. É taxa atrás de taxa. Isso porque assino o pacote mais completo da empresa, onde teoricamente, estão inclusos todos os serviços e mesmo assim eles querem me cobrar, taxa de manutenção, por exemplo”.

Até então a advogada não cancelou seu pacote, pois, resolveu testar primeiro o serviço de streaming na internet. Com dois meses de uso, ela afirma ser muito mais vantajoso por apresentar mais opções, ser mais barato, e "o melhor, não estou tendo nenhuma dor de cabeça. Sempre assinei TV a cabo pelos filmes, e claro pelos canais exclusivos, porém no netflix encontrei até mais opções de filme do que na tv".