Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 26 de Maio de 2022

Sidrolandia

Um buraco detonou seu carro? Saiba o que fazer para ser ressarcido

É importante ter imagens de onde aconteceu o acidente, além de testemunhas. Registrar boletim de ocorrência ou procurar um advogado também.

Midiamax

06 de Novembro de 2015 - 07:00

Os campo-grandenses já se acostumaram a conviver e lidar com os problemas causados pelos buracos que tomam conta dos quatro cantos da cidade. Mas o que muitos não sabem, ou não se lembram, é que se um buraco detonar seu patrimônio, você pode ser ressarcido pela Prefeitura. 

Segundo a administração municipal de Campo Grande, o cidadão que se sentir lesado em razão de estragos nos veículos nas vias públicas deve comparecer à Central de Atendimento ao Cidadão e pegar a senha A, para que seja verificado se o prejuízo foi digno de ressarcimento

É importante ter imagens de onde aconteceu o acidente, além de testemunhas. Registrar boletim de ocorrência ou procurar um advogado também pode ajudar a reforçar o pedido.

 ‘Direito do cidadão’

O jornalista Eduardo Coutinho recebeu ressarcimento de sua moto após sofrer acidente no Centro por conta de buraco. “Vi uma vez que uma mulher tinha entrado e ganhado, então resolvi entrar com uma ação. fui ressarcido em pouco mais de mil reais”.

Em janeiro de 2013, Eduardo voltava do trabalho de moto quando bateu em buraco perto da rodoviária antiga e caiu. “A moto ficou bem danificada e eu tive vários arranhões e cortes”.

O jornalista foi levado para o posto de saúde, mas antes ligou para os pais, que foram até o local do acidente e tiraram fotos do lugar. “Pedi também o telefone do vigia de um hotel que presenciou o acidente, para ter uma testemunha”, conta.

Um mês depois de pedir diariamente no Samu o laudo do seu atendimento, Eduardo conseguiu acesso ao documento. “Pensei muito se entrava com o pedido. Fiquei com medo da burocracia e de só passar raiva, mas pesquisei e vi que era direito do cidadão recorrer”. Eduardo juntou todas as provas e foi à Central do Cidadão. Orientado pela esposa, advogada, entrou com processo administrativo contra a Prefeitura, seis meses depois do acidente.

“A Prefeitura pediu que eu apresentasse três orçamentos que iriam analisar as provas. Em dezembro me ligaram confirmando que me pagariam os danos da moto, o que fizeram no ano seguinte”, relata.

Engolido por cratera

O eletricista Rodrigo Soares, de 36 anos, nem precisou ir atrás de ser ressarcido do prejuízo. Também em 2013, Rodrigo teve seu Palio engolido por cratera no São Conrado. Em pouco tempo, ele recebeu R$ 12 mil da Prefeitura e com o dinheiro comprou outro carro. Mas a velocidade surpreendente do ressarcimento tinha motivo.

“Meu carro foi praticamente engolido por cratera e registraram o momento,  o caso ganhou grande repercussão. Como era uma obra mal feita e o asfalto cedeu, foram bem prestativos comigo. A Prefeitura me deu suporte, fez o translado e prometeu que ia fazer valer a justiça. Nada mais justo quem fez a cagada ressarcir o mais rápido possível”.