Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 18 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Vander e Delcídio discutem infraestrutura nos assentamentos de MS

Além dos 170 assentamentos existentes, um novo será implantado até o final do ano, o que totaliza 171 projetos de reforma agrária em Mato Grosso do Sul.

Assessoria

10 de Setembro de 2013 - 07:19

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e o deputado federal Vander Loubet (PT-MS) se reuniram nesta segunda-feira (9), na sede da Superintendência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), em Campo Grande, com dirigentes de órgãos federais e representantes dos movimentos sociais para discutir um plano integrado que permita melhorar a infraestrutura e garantir a produção, através do estímulo a agricultura familiar, nos assentamentos de Mato Grosso do Sul.

"São 170 assentamentos onde vivem hoje cerca de 30 mil famílias que têm toda condição de se sustentar desde que sejam oferecidas condições para isso. O mercado consumidor para os produtos que vêm dos assentamentos está totalmente aberto. O que a agricultura familiar produzir vende", argumentou o superintendente do INCRA, Celso Cestari, anfitrião do encontro. "Antes de tudo temos que garantir três coisas básicas aos assentados: estradas internas, água e casas", explicou.

De acordo com o deputado Vander, já existe um esforço para o atendimento dessas demandas. No entanto, o parlamentar acredita que a união de esforços entre as instituições e os entes federativos pode acelelar o processo. "As parcerias são fundamentais, não pode haver ações isoladas. O atendimento às reivindicações das famílias assentadas envolve um trabalho que passa pelas três esferas [municipal, estadual e federal] e por várias autarquias e entidades, além da nossa bancada em Brasília", explicou.

O senador Delcídio destacou que a bancada de MS vai se mobilizar em Brasília. "Vamos nos reunir com o ministro Pepe Vargas [Desenvolvimento Agrário] para discutir essas reivindicações e atendê-las a curto, médio e longo prazo, dentro de uma escala de prioridades. Vamos definir o que se pode fazer até o final do ano e garantir, através de emendas ao Orçamento Geral da União, o que será feito em 2014 e nos anos seguintes", propôs.

Também estiveram presentes ao encontro os superintendentes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Antônio Dotta; do Ministério da Pesca, Luiz David Figueiró; e da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Pedro Teruel, além de técnicos dos ministérios da Saúde e do Desenvolvimento Agrário e de representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Federação da Agricultura Familiar (FAF). Além dos 170 assentamentos existentes, um novo será implantado até o final do ano, o que totaliza 171 projetos de reforma agrária em Mato Grosso do Sul.