Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 5 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Vereador Edno espera grande público em palestra do juiz Odilon no Salão Paroquial

O juiz tem feito uma verdadeira cruzada por MS cobrando políticas públicas de prevenção e a recuperação de usuários com abertura de clínicas de tratamento

Flávio Paes/Região News

02 de Agosto de 2013 - 07:36

Empenhado junto com o missionário Carlos Henrique Olindo e com o colega Waldemar Acosta, em divulgar na cidade o evento, o vereador Edno Ribas (PDT) está confiante que um grande público vai prestigiar nesta sexta-feira a palestra do juiz federal Odilon de Oliveira, que vai abordar a importância da família e da sociedade para atuar na prevenção ao uso de drogas.

“Pela relevância do tema e a notoriedade do palestrante, acredito que a sociedade toda tem a ganhar se for ouvir o Dr. Odilon”, destaca Edno.  A palestra acontece a partir da 19h30min no Salão Paroquial.  O juiz tem feito uma verdadeira cruzada por Mato Grosso do Sul cobrando políticas públicas de prevenção e a recuperação de usuários com abertura de clínicas de tratamento.

Odilon também critica o sistema político e a legislação do País ao apontar a prática da corrupção como dos maiores males entranhados em vários poderes da administração pública, inclusive no Judiciário. Ele considerou o sistema de corrupção como uma guerra que destrói a pobreza no Brasil, citando, por exemplo, a falta de água no nordeste, onde o dinheiro público não tem chegado apesar dos alardes das autoridades sobre supostos investimentos.

“Eu gostaria que o STF (Supremo Tribunal Federal) fizesse uma marcha pela priorização da educação, pela família”, sugeriu o magistrado, que fez uma exposição mostrando o mapa com dados sobre o tamanho da violência e do consumo de drogas no Brasil. “Então, temos de fazer marchas assim, não pela maconha, mas pela educação, pela família”, reforçou.

Odilon condena a possibilidade de o Supremo aprovar a descriminalização da maconha no Brasil, um assunto que gerou polêmica e desencadeou uma grande mobilização nacional, ganhando espaço principalmente nas redes sociais, como facebook. Desta forma, as drogas continuariam proibidas, porém o usuário apanhado não seria mais penalizado de forma alguma.

“Nesse caso, uma pessoa que for presa com 5 gramas de droga é só dizer ao policial que é usuário, mas na verdade, pode estar sendo liberada para o tráfico”, exemplificou. “Esses são os passos de um país que quer combater as drogas”, condenou Odilon, ao sugerir pressão dos participantes do encontro, em sua maioria secretários municipais de Educação, visando convencer as autoridades sobre o risco que o tema traz a população.

Quem é o juiz Odilon

Odilon de Oliveira nasceu em 26/02/1949, na Serra do Araripe, município de Exu, Pernambuco. Filho de pais lavradores trabalhou na roça até os 17 anos de idade. Foi alfabetizado na roça, à noite, em sua própria casa, após ter um dia inteiro de trabalho. Entrou tarde na faculdade de Direito, vindo a se formar aos 29 anos de idade. Foi Procurador Autárquico Federal, Promotor de Justiça, Juiz de Direito.

É Juiz Federal desde 1987. Sempre trabalhou em fronteiras como magistrado federal, na área criminal: Mato Grosso, Rondônia e Mato Grosso do Sul. Já condenou centenas de traficantes internacionais. Atualmente, é titular da única vara especializada no processamento dos crimes financeiros e de lavagem de dinheiro de Mato Grosso do Sul, com jurisdição sobre todo o Estado. Seu maior sonho é ver a juventude livre das drogas.

Quem nunca ouviu as histórias do famoso juiz que residia dentro de um fórum em Ponta Porã sob a vigilância de sete agentes federais fortemente armados. Isso tudo por ser juiz federal na fronteira com o Paraguai e, estar jurado de morte pelo crime organizado. Em um ano, o juiz condenou 114 traficantes a penas, somadas, de 919 anos e 6 meses de cadeia.