Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 25 de Maio de 2022

Sidrolandia

Vereador quer proibir lotadas para Campo Grande e motoristas protestam contra projeto

Para o vereador, os serviços de lotadas compromete o rendimento dos taxistas regularmente estabelecidos na cidade.

Heloisa Trindade/Região News

19 de Outubro de 2015 - 13:00

Após Sérgio Bolzan (PT) protocolar projeto que proíbe os serviços de lotação e o uso do Uber, um aplicativo de celular desenvolvido nos Estados Unidos, já adotado nos grandes centros urbanos brasileiros, que permite a qualquer pessoa oferecer um serviço semelhante ao táxi tradicional, conhecido popularmente como serviços de “carona remunerada”, um grupo de motoristas que fazem “lotadas” basicamente para Campo Grande, resolveu protestar na manhã de hoje.

Para o vereador, os serviços de lotadas compromete o rendimento dos taxistas regularmente estabelecidos na cidade, já que vão até a residência dos usuários num verdadeiro leva e trás. Motoristas que prestam este tipo de serviço se reuniram para tentar pressionar os vereadores na sessão ordinária desta segunda-feira (19) e evitar que o projeto seja aprovado.

Para Alberi de Abreu, que está no ramo há mais de 15 anos, ao invés da proibição, vai tentar convencer os parlamentares pela regulamentação do serviço: “Nós não queremos fazer bagunça e nem prejudicar ninguém, mas não iremos ficar calado diante a esta tentativa de querer nos proibir de trabalhar”, ressalta sob o argumento de que não há prejuízo aos taxistas porque só atuam no serviço intermunicipal.

Protesto

Hoje nenhum dos cerca de 20 motoristas que ganham a vida fazendo diariamente o trajeto de ida e volta a Campo Grande, saíram de casa para ir trabalhar. Eles estacionaram os veículos no entorno da Praça Porfirio e Brito (Praça Central) em protesto ao projeto de Bolzan e pediram ajuda da população (especialmente dos usuários), para pressionar os vereadores na Câmara.