Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Vereadores homenageiam indígena com Moção de Congratulação

O Capitão Santo atuou como cacique durante 26 anos desde a criação da aldeia, a Moção de Congratulação demonstra o reconhecimento dos vereadores

Franciane Trindade/Região News

15 de Abril de 2011 - 09:00

Vereadores homenageiam indígena com Moção de Congratulação
Capit - Foto: Franciane Trindade/Regi

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Sidrolândia vai homenagear na próxima sessão ordinária dia 18 de abril com Moção de Congratulação de autoria dos vereadores Jean Nazareth (PT) e Waldemar Acosta (PDT) o Sr João Figueiredo Filho popular Capitão Santo.

A homenagem será em comemoração ao dia do índio (19 de abril), Capitão Santo receberá a Moção pelos atos de grandeza e bravura na condução da criação e povoação da Aldeia Tereré, por fazer parte da história da etnia na região, foi um dos pioneiros na idealização de agregar o passado os costumes e as tradições  com o objetivo de fortalecer a comunidade.

O Capitão Santo atuou como cacique durante 26 anos desde a criação da aldeia, a Moção de Congratulação demonstra o reconhecimento dos vereadores pela passagem da data festiva alem do respeito e a admiração pelos povos indígenas de todo o município.

Conheça a história do Capitão Santo:

João Figueiredo Filho chegou ao município de Sidrolândia em 1978 quando a região da aldeia Tereré era tomada pela mata, no local construiu sua casinha e logo formou uma família, tempo depois conseguiu viabilizar a doação de um terreno com 10 hectares para a construção da comunidade.

Desde então se tornou cacique da aldeia ficando no cargo por 26 anos, hoje a aldeia tem aproximadamente 800 indígena com 240 famílias legalmente construída na comunidade.

Com 71 anos o famoso Capitão Santo já desfruta dos privilégios de ter construído uma família, casou se com Guilhermina Alves com quem teve nove filhos sendo cinco homens e quatro mulheres, sempre com muita vontade de ver sua etnia crescer, trabalhou em prol da comunidade indígena do município.

Os conselhos do capitão até hoje é muito aceito sempre idealizou que a aldeia Tereré tem um diferencial  por ser urbana, perto das escolas, saúde e faculdade principalmente para os índios que optaram pelo trabalho nas Empresas da região.

Hoje o capitão Santo não é mais cacique da aldeia, mesmo assim é muito respeitado e admirado pela comunidade, se alguém perguntar pelo “capitão Santo’’ todos saberá dizer quem é.