Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Vereadores se reúnem para avaliar retaliações de Daltro Fiúza

Para Jean Nazareth o cargo de presidente não muda seu relacionamento com a pessoa de Daltro Fiúza

Marcos Tomé/Região News

16 de Dezembro de 2010 - 10:00

Waldemar Acosta (PDT) foi procurado pela reportagem do Jornal Eletrônico Região News na manhã desta quinta-feira para comentar as decisões do chefe do executivo que demitiu dois secretários do partido, Coronel Cesar Wilson dos Santos – Infraestrutura e Rosimeire Aparecida Garcia - Desenvolvimento Econômico  em retaliação ao seu posicionamento durante eleição da Mesa Diretora do Legislativo.

Acosta foi enfático ao afirmar que não é oposição ao governo de Daltro Fiúza (PMDB), pelo contrário, pediu voto e caminhou junto com a administração. Sobre sua postura na casa, Waldemar disse que é um direito legitimo de cada legislador a escolha do voto. “O direito da livre escolha, o ir e vir sem ser molestado, são fundamentos do processo democrático”, comentou.

.

Foto: Marcos Tomé/Região News

Vereadores

                         Vereadores se reúnem para avaliar retaliações de Daltro Fiúza

.

Após tais declarações, reuniram-se para avaliar o quadro, Jean Nazareth (PT), Antonio Galdino e Waldemar Acosta. Os vereadores são unânimes em afirmar que não foram e nem serão oposição a administração de Fiúza, porém, é preciso que atitudes “impensadas” sejam analisadas.

Para Jean Nazareth o cargo de presidente não muda seu relacionamento com a pessoa de Daltro Fiúza bem como, com sua administração. “É difícil pensar que um gestor público da magnitude de Fiúza, não consiga entender que o Legislativo é um Poder independente, somos inteligentes o suficiente para escolhermos o que é bom para esta casa”, comentou.

Jean afirmou que não foi pensando em si que tomou tal atitude. “Na eleição passada, Daltro nos chamou e apresentou sua candidata, Drª. Rosangela Rodrigues, e aceitamos sua indicação elegendo a mesma para ordenar as despesas desta casa e veja no que deu. Os vereadores não tiveram as mínimas condições de trabalho nestes dois anos de sua gestão”, desabafou.

O parlamentar disse ainda que não foi, justo o posicionamento de Daltro no tocante as decisões da eleição da Mesa. “Ao meu entender, o prefeito deveria ter conversado com todos da base aliada e deixar a decisão para nós escolhermos o nome de consenso, fato que não aconteceu”, enfatizou.

Ao finalizar seu desabado, Jean fez questão de lembrar que é o mesmo vereador e o cargo de presidente não muda nada. “Não foi eu quem escolheu ser presidente, pelo contrário, fui escolhido pelos demais vereadores para ordenar as despesas desta casa de leis, cumprirei meu papel com dignidade, coragem e acima de tudo, respeito para com a individualidade de cada parlamentar e representante dos poderes”, comentou.

Waldemar e Galdino parabenizaram Jean pela atitude e também reafirmaram compromisso político na base de sustentação a Fiúza na Câmara.

RETALIAÇÕES

Os vereadores condenaram a atitude de Daltro Fiúza e esperam que o mesmo pense melhor sobre sua atitude. “Um governo que prega desenvolvimento com liberdade não pode fazer terrorismo com as pessoas porque não fez aquilo que o mesmo almejava. Penso que Sidrolândia é maior que todas essas picuinhas políticas e que vença a Democracia”, finalizou Galdino.