Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 15 de Agosto de 2022

Sidrolandia

Vereadores vistoriam Assistência Social e secretária promete entregar amanhã relatório

Na inspeção que fizeram nos depósitos os vereadores encontraram muito pouca coisa.

Flávio Paes/Região News

01 de Setembro de 2015 - 14:15

Depois do puxão de orelha aplicado na sessão de segunda-feira pelo presidente da Câmara, David Olindo, os vereadores que integraram a comissão especial formada para apurar denúncias sobre a atuação da secretária Joana Michalski, estiveram nesta manhã na Secretaria de Assistência Social vasculhando os depósitos à procura de produtos que estariam armazenados quando deveriam ter sido distribuídos à população carente.

Por aproximadamente uma hora os vereadores Vilma Felini (presidente da Comissão), Waldemar Acosta, Cledinaldo Cotócio e Rosangela Rodrigues, ouviram as explicações da secretária. Ela prometeu entregar amanhã um relatório com respostas de todos os questionamentos apresentados.

Na última sessão do Legislativo, Olindo exigiu que a Comissão apresentasse um relatório até a próxima segunda-feira, do contrário, convocaria a secretária para prestar esclarecimentos na Câmara. Na inspeção que fizeram nos depósitos, os vereadores encontraram muito pouca coisa.

Ao contrário do que se chegou a denunciar, não havia cestas básicas estocadas. Foram encontrados apenas três kits com cobertores, brinquedos apreendidos doados pela Receita Federal para serem entregues no Dia da Criança em outubro. Foram encontrados alguns ingredientes usados na produção de pão, mantida pela Secretaria para atender os participantes de projetos sociais.

http://i.imgur.com/Cv8AkmZ.jpg“A secretária se mostrou muito receptiva e disposta a prestar todos os esclarecimentos”, avaliou a vereadora Rosangela Rodrigues. No relatório que será encaminhada amanhã aos vereadores, a secretária deve detalhar a questão do retardamento na aplicação de R$ 1 milhão em recursos da Assistência Social, que estão emperrados por questões burocráticas nos processos licitatórios na compra de alguns produtos e serviços.  

Em relação à suposta devolução de recursos liberados pelo governo federal, a secretária explicou aos vereadores que de fato foi preciso fazer um reembolso de R$ 21 mil gastos entre 2011 e 2012, na gestão Daltro Fiuza, quando o secretário era Marcio Marquetti. “Não foi nenhum desvio de recursos. Simplesmente avaliou-se que a verba teve uma destinação diversa da qual estava programada”, explica o vereador Waldemar.