Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 5 de Dezembro de 2021

Sidrolandia

Vídeo erótico cancela casamento e briga deixa mulher em coma

O vídeo, que mostra a noiva, Silvia Luna, levou o noivo a cancelar o casamento que seria realizado neste fim de semana, na localidade de General Las Heras, na Província de Buenos Aires.

Redação de Noticia

23 de Abril de 2010 - 10:05

Uma mulher argentina confessou ter agredido uma amiga na cabeça com um martelo de cozinha, usado para bifes, depois de desconfiar que amiga mostrou ao futuro marido da agressora um vídeo erótico.

O vídeo, que mostra a noiva, Silvia Luna, levou o noivo a cancelar o casamento que seria realizado neste fim de semana, na localidade de General Las Heras, na Província de Buenos Aires.

A vítima da agressão, Carola Rosa Bruzzoni, está em coma irreversível. Nesta quinta-feira, a autora do ataque ficou presa após fazer as declarações à polícia e foi acusada de "tentativa de homicídio".

As duas trabalhavam num restaurante da cidade.

"Não sei como cheguei a essa situação. Agora, fiquei sem marido, sem aliança e sem vestido", afirmou Silvia à polícia.

Ela também pediu "desculpas" à família da vítima, dizendo que "não tinha a intenção de ferir ou de matá-la".

Discussão

Segundo a imprensa local, o dono do restaurante determinou que as duas fossem para casa após terem uma briga, que incluiu a agressão com o martelo de cozinha.

Carola passou mal quando já estava em sua casa e foi levada pelo marido ao hospital local, onde foi detectado que ela tinha sofrido afundamento do crânio.

Os médicos a colocaram em coma induzido, mas disseram que agora ela estaria em estado irreversível.

Nesta quinta-feira, o marido de Carola disse que "nenhum vídeo" justificaria a agressão sofrida pela mulher.

"Eu só sei que agora minha mulher está nesta situação. Espero que a pessoa que fez isso, que a deixou neste estado pague por isso", disse à emissora de televisão TN (Todo Noticias).

O advogado da família de Carola Bruzzoni, Cristian Pérez Solís, disse que o vídeo é uma "desculpa" da agressora para "justificar" sua ação.

"Esta é uma comunidade pequena, e esse vídeo já vinha circulando em General Las Heras há pelo menos cinco ou seis meses. Muitos viram esse vídeo e por isso não faz sentido que Silvia diga que atacou Carola por isso", afirmou o advogado. Na sua opinião, o vídeo faz parte da "estratégia da defesa" da agressora.

A cidade de General Las Heras tem 14 mil habitantes e fica a 67 quilômetros da capital argentina, Buenos Aires.