Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 29 de Novembro de 2021

Sidrolandia

Vídeo mostra manifestantes seminus na Câmara de Dourados, MS

A assessoria da Câmara de Dourados informou que uma equipe está contabilizando, durante a tarde desta quinta, possíveis danos deixados pelo grupo no prédio

G1 MS

16 de Agosto de 2013 - 10:32

Manifestantes que ocuparam por 43 dias a Câmara Municipal de Dourados, a 225 km de Campo Grande, foram flagrados pelo circuito interno de segurança do prédio enquanto tiravam fotos de cueca, antes de deixar o local nesta quinta-feira (15). As imagens foram divulgadas pela assessoria do órgão. Representante do grupo confirma o fato e diz ter sido uma brincadeira em tom de protesto.

No vídeo, eles estavam no plenário, mas parecem não observar que estavam sendo gravados. Com rostos tampados, alguns sobem em cima da mesa e posam para um dos colegas.

A assessoria da Câmara de Dourados informou que uma equipe está contabilizando, durante a tarde desta quinta, possíveis danos deixados pelo grupo no prédio. O resultado da vistoria deve ser divulgado nesta sexta-feira (16).

Um dos manifestantes, que identificou-se como Tatus Park, responsável pela comunicação do grupo, disse ao G1 que soube que alguns dos colegas tiraram a foto sem roupa e diz que não estava no prédio no momento. Ele classifica o fato como “brincadeira com tom de protesto”.“Foi uma manifestação da galera no último dia de ocupação”, diz.

Passe livre

O grupo formado por cerca de 60 estudantes organizou a ocupação pedindo redução da tarifa e melhorias no transporte coletivo de Dourados. Conforme o Diretório Central de Estudantes da Universidade Federal da Grande Dourados (DCE-UFGD), após acordo entre as partes foi prometido aos estudantes que, em 20 dias, será divulgado um estudo sobre a redução do preço do passe.

A decisão de deixar o prédio foi tomada após assembleia entre os manifestantes na tarde de quarta-feira (14). Segundo a coordenação do movimento, eles ficaram satisfeitos com a proposta de uma possível redução de pelo menos R$ 0,12 na tarifa, atualmente fixada em R$ 2,50.