Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Sidrolandia

Vilma anuncia que reajuste salarial a servidor forçará prefeito a promover mais 100 demissõesl

Na terça-feira passada o prefeito recebeu uma comissão de três servidores e assumiu o compromisso de nesta segunda-feira apresentar por escrito a proposta salarial.

Flávio Paes/Região News

15 de Setembro de 2013 - 20:00

Junto com a proposta de reajuste salarial  que será encaminhada aos servidores municipais nesta segunda-feira, o prefeito de Sidrolândia, Ari Basso, deve anunciar a demissão de mais 100 servidores contratados, como forma de assegurar alguma melhoria salarial e manter os  gastos com pessoal limitados aos 54% da receita liquida previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal.

A necessidade de ampliar os cortes adotados em junho (quando foram demitidos 175 servidores e reduzida em 50% às gratificações de muitos funcionários) foi  confirmada pela vereadora Vilma Felini (PSDB), em pronunciamento na última sessão da Câmara. Vilma  repassou a informação em nome do Executivo, cumprindo a função que é do vereador Edivaldo dos Santos, líder do Governo. 

A proposta que o prefeito encaminhará aos servidores e que será discutida numa assembleia à noite na Câmara está sendo mantida em sigilo . Isto deu margem a uma série de especulações sobre qual índice será concedido ou se mais uma vez será mantida a posição de não se conceder reajuste neste ano.

Uma das possibilidades seria a concessão dos 12% pleiteados pela categoria em três parcelas de 4% (em outubro, novembro e dezembro). Outro percentual ventilado seria a concessão de 6%. O vereador Nélio Paim,  integrante da comissão de servidores como representante da Saúde (ele é funcionário concursado), acha possível a Prefeitura dar o aumento de 12% de uma só vez, sem o risco de infringir a Lei de Responsabilidade Fiscal.

“Basta cortar as gratificações por dedicação exclusiva que beneficia servidores de altos salários e promover novas demissões de contratados, enxugar a máquina administrativa, com a fusão de algumas secretarias” receita.  Pelas suas contas o  aumento pleiteado pelos funcionários elevaria as despesas com a folha em R$ 211 mil, tendo como referência o valor da folha de agosto, que ficou em R$ 4,2 milhões.

Na terça-feira passada o prefeito recebeu uma comissão de três servidores e assumiu o compromisso de nesta segunda-feira apresentar por escrito a proposta salarial. No mesmo dia a tarde se reuniu com o secretariado para avaliar novas medidas de contenção. Em principio o prefeito vem relutando em conceder reajuste diante do temor de que não teria caixa para pagar o 13º.

No mês passado, quando a folha de pagamento foi de R$ 4,2 milhões, a Prefeitura teve uma receita de R$ 6.668.000,54, menor que a de julho, quando a arrecadação chegou a R$ 7.579.905,04. No acumulado do ano, a prefeitura já efetivou despesas no valor de R$ 60,6 milhões. Deste valor, já foram pagos R$ 57,4 milhões, acumulando R$ 3 milhões em restos a pagar.