Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 28 de Novembro de 2021

Sidrolandia

Vítima de acidente na BR-060 vai ser sepultada às 16h30 no São Sebastião

A mulher dele, Adinalva Batista de Paula e a filha de apenas sete meses de idade, Isadora Pereira, continuam internadas no Hospital Elmiria Silvério Barbosa.

Flávio Paes/Região News

03 de Agosto de 2013 - 09:37

Está sendo velado na Capela da Pax Bom Jesus do bairro São Bento, Valdemir Pereira, que morreu ontem à noite no acidente na BR-060, quando o Corsa que dirigia foi esmagado por uma carreta parada no meio da pista depois de apresentar problemas mecânicos. Valdemir vai ser sepultado às 16h30 no Cemitério São Sebastião.

A mulher dele, Adinalda Batista de Paula e a filha de apenas sete meses de idade, Isadora Pereira, continuam internadas no Hospital Elmiria Silvério Barbosa. O rapaz morto é irmão mais novo do secretário municipal de Desenvolvimento Rural, Cezar Pereira. Ele trabalhava na fábrica de ração da Seara. Em companhia do cunhado, Crispim Cabreira, da mulher e da sua única filha, foi a Campo Grande fazer compras.

Segundo voluntários que atuaram no resgate das vítimas, Valdemir não morreu de imediato com o impacto da batida. Ele morreu enquanto voluntários tentavam resgata-lo das ferragens. Foram momentos dramáticos que só quem presenciou pode dimensionar.

Valdemir, a mulher e o cunhado, gritavam por socorro, enquanto óleo diesel escorria do tanque combustível, tornando iminente o risco de um incêndio. As pessoas desesperadas, em vão tentava levantar o pesado caminhão. O trabalho de resgate demorou pelo menos 40 minutos sem que as equipes do SAMU chegasse.

Os motoristas de uma caminhonete e de um caminhão pequeno tentaram puxar o Corsa, mas as cordas não  resistiram ao peso e arrebentaram.  Só possível retirar o veículo de embaixo da carreta, com a chegada de um caminhão da Prefeitura que vinha dos assentamentos e dispunha de um cabo de aço.

A primeira vítima a ser resgatada foi a pequena Isadora que viajava no banco de traz na cadeirinha. Por sorte, no impacto da batida ela foi jogada, ficando no soalho do carro o que pode ter salvado sua vida. Provavelmente se tivesse sido jogado contra o banco da frente, teria morrido esmagada.

Foi uma cena impressionante. Chorando bastante, a criança, vestida com um pagãozinho e de fralda descartável, sangrava pelo nariz e a boca, além de ter uma chave de fenda atravessada no pé. Um voluntário a pegou nos braços e saiu correndo em meio à escuridão em busca de um carro que a levasse ao hospital.

Depois foi resgatada a mãe de Isadora, Adinalda Pereira, que foi imobilizada pela equipe do SAMU (que acabara de chegar) e teve de ser levada numa Kombi enquanto a viatura de resgate aguardava a retirada de Crispim das ferragens, porque era uma vítima estado mais grave, com suspeita de traumatismo craniano.

Outro momento de comoção foi quando chegou o irmão de Valdemir, o secretário Cezar Queiroz. Ele também vinha de Campo Grande quando parou no congestionamento que se formou em função da interdição da pista por causa do acidente. Até então, ele não sabia que o irmão era uma das vitimas. Ele só tomou conhecimento que a tragédia envolvia alguém da sua família, quando desceu do carro e foi ver de perto o que tinha acontecido.