Imoveis a Venda | Classificados | Super Galeria | Videos

REDAÇÃO (67)3272-6466

Noticia de: 20 de Março de 2017 - 16:36

Travessia de tubulação da drenagem interdita trecho da Rua Ponta Porã

A obra começou a ser executada pelo Governo do Estado em novembro com investimento de R$ 1,1 milhão.






 

Travessia de tubulação da drenagem interdita trecho da Rua Ponta Porã -
Foto: Reginaldo Mello/Região News


 
O Governo do Estado teve de executar esta obra pressionado pela ação judicial por danos ambientais numa propriedade de 1,2 hectares"
 

Um trecho da Rua Ponta Porã (entre a Martins Fradick e a Hélio Martins Coelho) foi interditado nesta segunda-feira para travessia da tubulação de drenagem para o escoamento da enxurrada que desce do Bairro Cascatinha. A empreiteira planeja concluir ainda nesta segunda-feira a travessia desta via de acesso a MS-162, trecho Sidrolândia/Quebra Coco/Dois Irmãos do Buriti. Os motoristas tem que desviar por uma rua paralela à rodovia no Jardim Petrópolis.

A obra começou a ser executada pelo Governo do Estado em novembro com investimento de R$ 1,1 milhão. Estão sendo instalados 724 metros de tubulação, poços de visita, caixas de retenção, além de um dissipador (uma espécie de escadaria) para reduzir a velocidade das águas pluviais com isto evitar alagamentos na região que fica no entorno. Esta drenagem vai captar a enxurrada que desce do Cascatinha, passa pela Ponta Porã e provoca alagamentos na Vila Tereré e Petrópolis.  

Obra de reparação

As obras de drenagem foram retomadas na primeira semana de fevereiro, após aproximadamente 30 dias de paralisação, por conta de férias coletivas. O projeto prevê um sistema de drenagem ao longo de toda a extensão da Rua Hélio Martins Coelho (desde o prolongamento da Rua Ponta Porã).

Esta tubulação vai captar e escoar a enxurrada que desce do Cascatinha, passa por uma boca de lobo em frente do Supermercado Serve Bem e hoje alaga casas situadas na Vila Tereré, especialmente no prolongamento das ruas Mato Grosso e Espírito Santo.

O Governo do Estado teve de executar esta obra pressionado pela ação judicial por danos ambientais numa propriedade de 1,2 hectares. A chácara ficou retalhada pela erosão que começou a se formar porque passou a receber a enxurrada que desce do Cascatinha desde a pavimentação da MS-162 (trecho entre Sidrolândia/Quebra Coco).









Flávio Paes/Região News


Reportar Erros



 


 
.
MATO GROSSO DO SUL

Leilão de bovinos supera meta do Governo e arrecada R$ 39 mil
BRASIL

IBGE abre inscrições de processo seletivo para 1.152 vagas temporárias de recenseador
CONCURSOS

Semana começa com 169 vagas em concursos com salários de até 9,6 mil
BRASIL

Com frete rodoviário abaixo do custo, CNI defende fiscalização para evitar crise
 
 
  • Notícias
  • + Lidas

1

Jovem é morto com 6 tiros disparados por ocupantes de carro branco

Leia mais


2

Semana começa com previsão de mais chuva e máxima de 31ºC em MS

Leia mais


3

Vítimas de acidente entre veículos na MS-386 são mulheres

Leia mais


4

8 em cada 10 brasileiros dizem não seguir orientação de religiosos na hora do voto, aponta Datafolha

Leia mais


5

Provas para avaliação da educação básica começam a ser aplicadas hoje

Leia mais








© Regiao News - Todos os Direitos Reservados.
contato@regiaonews.com.br
+ 55 67 3272 6466
Desenvolvido por:
MD-WEBMARKETING