Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 19 de Julho de 2024

Economia

Aluguel residencial sobe 16% em um ano, maior alta desde 2011

Índice FipeZAP+ acompanha a variação de aluguéis em 25 cidades brasileiras. São Paulo é a capital com o metro quadrado mais caro.

G1

18 de Outubro de 2022 - 08:16

Aluguel residencial sobe 16% em um ano, maior alta desde 2011
Preço médio do aluguel residencial sobe quase 16% em um ano, maior alta desde 2011 — Foto: Diogo Moreira/Divulgação Governo de São Paulo

O preço médio dos aluguéis residenciais subiu quase 16% ao longo dos 12 meses encerrados em setembro, segundo dados do índice FipeZAP+ de Locação Residencial divulgados nesta terça-feira (18). É a maior alta para o período de um ano desde dezembro de 2011, quando foi registrado avanço de 17,30%.

A variação, de 15,95%, é superior à inflação no período, de 7,17%, considerando dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Fica acima também do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), que acumula alta de 8,25%.

O índice FipeZAP+ segue, no entanto, uma tendência de desaceleração mensal. O avanço nos preços dos aluguéis foi de 1,08% em setembro, abaixo dos cinco meses anteriores: abril (+1,84%), maio (+1,70%), junho (+1,58%), julho (+1,37%) e agosto (+1,30%).

Quando analisado o balanço parcial de 2022, de janeiro a setembro, o avanço no preço dos aluguéis também ficou acima da inflação. A alta acumulada é de 13,64%, enquanto o IPCA avançou 4,09% e o IGP-M, 6,61%.

O Índice FipeZAP+ de Locação Residencial monitora a variação do preço médio de aluguel de apartamentos prontos em 25 cidades brasileiras – entre elas, 11 capitais – com base em anúncios veiculados na Internet.

Preço médio de locação

O preço médio do aluguel residencial em setembro de 2022, calculado para as 25 cidades, é de R$ 37,80 o metro quadrado. Considerando um apartamento de 50 metros quadrados, o valor médio chega a R$ 1.890.

A cidade mais cara entra as monitoradas é Barueri (SP), onde a locação custa, em média, R$ 47,16 o metro quadrado. No caso de um apartamento de 50 metros, o valor médio é de R$ 2.358 no município.

Quando consideradas as 11 capitais, São Paulo – que ocupa a segunda posição no ranking geral – lidera nos preços, com R$ 44,47 o metro quadrado. Em seguida, estão Recife (R$ 40,86/m²) e Florianópolis (R$ 37,80/m²). (Confira a lista completa no fim desta reportagem.)

Alta nas capitais

Em setembro, Niterói (RJ) foi a única cidade da lista geral que apresentou recuo – ainda que discreto – no valor do aluguel (-0,05%). Entre as capitais, Florianópolis (SC) teve a maior alta, com elevação de 2,36%, seguida por Curitiba (PR), com aumento de 2,22%, e Goiânia (GO), onde o avanço foi de 1,85%.

Quando considerado o balanço parcial de 2022 – de janeiro a setembro –, 24 das 25 cidades monitoradas tiveram alta nominal de preços. Entre as capitais, o maior crescimento foi em Florianópolis, com avanço de 27,17%, seguida por Goiânia, que aumentou 25,89%, e Fortaleza (CE): 23,44%.

No acúmulo dos últimos 12 meses, as mesmas capitais estão no topo: Florianópolis (33,34%), Fortaleza (28,56%) e Goiânia (26,01%).

Rentabilidade do aluguel

Segundo o levantamento deste mês, o retorno financeiro do aluguel residencial para os proprietários é de 5,07% ao ano, inferior à rentabilidade média projetada para aplicações financeiras de referência nos próximos 12 meses.

Considerando as 11 capitais monitoradas, as taxas de rentabilidade mais elevadas foram observadas no Recife (6,98% ao ano), Salvador (5,94% ao ano) e São Paulo (5,33% ao ano).

Preço médio do aluguel por cidade (m²); dados de setembro

  1. Barueri (SP): R$ 47,16
  2. São Paulo (SP): R$ 44,47
  3. Recife (PE): R$ 40,86
  4. Florianópolis (SC): R$ 37,80
  5. Santos (SP): R$ 37,80
  6. Rio de Janeiro (RJ): R$ 36,74
  7. Brasília (DF): R$ 36,56
  8. São José dos Campos (SP): R$ 31,38
  9. São José (SC): R$ 31,05
  10. Praia Grande (SP): R$ 30,60
  11. Belo Horizonte (MG): R$ 29,77
  12. Santo André (SP): R$ 29,58
  13. Salvador (BA): R$ 29,46
  14. Guarulhos (SP): R$ 29,06
  15. Curitiba (PR): R$ 28,60
  16. Porto Alegre (RS): R$ 26,54
  17. São Bernardo do Campo (SP): R$ 26,18
  18. Campinas (SP): R$ 25,60
  19. Joinville (SC): R$ 24,74
  20. Goiânia (GO): R$ 24,71
  21. Niterói (RJ): R$ 23,80
  22. Fortaleza (CE): R$ 23,45
  23. Ribeirão Preto (SP): R$ 19,69
  24. São José do Rio Preto (SP): R$ 18,68
  25. Pelotas (RS): R$ 15,58
    Média ponderada (25 cidades): R$ 35,74