Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Outubro de 2021

Economia

Aneel analisa reajuste preliminar e chega a índice 17.56% para energia em MS

A decisão final sobre o reajuste será tomada em reunião marcada para o dia 7 de abril, um dia antes do prazo para que o reajuste entre em vigor

Campo Grande News

25 de Março de 2011 - 14:12

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) analisou preliminarmente o reajuste da tarifa de energia elétrica e chegou ao índice de 17,56%, cerca de 1,5% menor do que a proposta inicial apresentada pela Enersul no começo deste mês.

A formulação do índice foi dividida em três componentes: Índice de Reajuste Econômico – de 7,90%, diferente dos 8,31% apresentados inicialmente; componentes financeiros de 4,47% - que incluem subsídios para consumidores de baixa renda, irrigação e programa Luz para Todos; e um terceiro índice, de 5,18%, referente ao cálculo de aumento, contemplando a devolução de valores da revisão tarifária de 2003.

A decisão final sobre o reajuste será tomada em reunião marcada para o dia 7 de abril, um dia antes do prazo para que o reajuste entre em vigor

Dentre os pleitos apresentados pelas empresas no Brasil, o da Enersul é o mais alto até agora. Em São Paulo, a CPFL – Leste Paulista, pediu 17,96% e a CPFL – Santa Cruz, 14, 45%. A Energisa, quer 15,56% e a Empresa Luz e Força Santa maria reivindica 10,74%.

Na avaliação da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), o reajuste é um desestímulo à economia do Estado. “Não podemos concordar com o índice que vem sendo pleiteado pela Enersul”, afirmou Sergio Longen.

O índice proposto pela Enersul é superior ao do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que teve acúmulo de 6,01% nos últimos 12 meses.