Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 3 de Dezembro de 2020

Economia

Caravana da Embrapa contra a Helicoverpa chega nesta semana a MS

Conforme a Embrapa, em Mato Grosso do Sul a primeira parada da caravana será nesta terça-feira (28), em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande.

Agrodebate

27 de Janeiro de 2014 - 09:30

A caravana de técnicos da Embrapa que oferece informações sobre ameças fitossanitárias, em especial a lagarta Helicoverpa armigera, chega nesta semana a Mato Grosso do Sul. Segundo a instituição, depois de passar por Goiás, Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Maranhão e Piauí, a iniciativa levará dados atuais e estratégias sobre manejo integrado de pragas, a produtores, extensionistas e técnicos rurais do estado.

Em dezembro do ano passado, em razão dos riscos que a Helicoverpa armigera oferecia a agricultura, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) declarou Mato Grosso do Sul em estado de emergência fitossanitária.

Conforme a Embrapa, em Mato Grosso do Sul a primeira parada da caravana será nesta terça-feira (28), em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande. A palestra será ministrada a partir das 8 horas, no auditório da Embrapa Agropecuária Oeste. Na quarta-feira (29), o grupo segue para Naviraí, também na região sul do estado. O encontro será promovido no auditório da Copasul, também às 8 horas.

Na quinta-feira (30), a última parada da caravana em território sul-mato-grossense será no município de São Gabriel do Oeste, no norte do estado. A reunião será realizada no auditório da prefeitura, às 13h30.

De acordo com a Embrapa, conceitos e táticas do manejo integrado de pragas, bem como tecnologias recentes de manejo, serão expostos em uma palestra dividida em cinco módulos. Em cada módulo, um pesquisador especialista repassará orientações para extensionistas, técnicos de cooperativas, sindicatos e associações rurais, para fazer deles os multiplicadores dessas informações junto aos produtores.

Ao final da palestra, será aberto um debate com os participantes, quando todos os pesquisadores da caravana poderão tirar dúvidas e prestar outras orientações necessárias. A iniciativa conta com o apoio da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa),  a Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja) e a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).