Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Economia

Com redução dos EUA, Brasil se torna maior produtor mundial de soja

Além da queda na produção, as perspectivas apontam para baixa no volume de esmagamento da oleaginosa e recuo da produtividade nos Estados Unidos, apesar de mantidas as áreas de plantio.

Famasul

13 de Setembro de 2013 - 11:00

A safra norte-americana de soja terá queda de 3% no ciclo 2013/14, ficando em torno de 85,7 milhões de toneladas. Na contramão dos Estados Unidos, o Brasil registra crescimento de 4% no volume de produção, chegando aos 88 milhões de toneladas, o que o torna o maior produtor mundial do grão. O cenário de mudança foi traçado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) nesta quinta-feira (12).

Além da queda na produção, as perspectivas apontam para baixa no volume de esmagamento da oleaginosa e recuo da produtividade nos Estados Unidos, apesar de mantidas as áreas de plantio. “A condição climática daquela região tem influência direta na queda da produtividade e no insucesso da produção americana”, afirma o presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), Almir Dalpasquele.

Para o vice-presidente da Aprosoja/MS, Luis Evandro Loeff, o resultado é uma conquista histórica para agricultora brasileira, mas representa preocupação quanto aos custos de produção. “A cada ciclo o agricultor apresenta avanços tecnológicos em sua lavoura, mas toda evolução exige investimento. Sementes, insumos, mão de obra e logística são custos arcados pelo produtor rural e tendem aumentar ainda mais”, enfatiza Loeff, ao citar a necessidade de cautela por parte do agricultor que pensa em expandir sua área de plantio.

No ranking mundial, depois do Brasil e dos Estados Unidos, segundo as perspectivas do USDA referente a safra de soja na safra 2013/14, estão a Argentina e a China, com produção de 53,5 milhões de toneladas e 12,5 milhões, respectivamente.

Em Mato Grosso do Sul a expectativa de aumento de 5% na área destinada ao plantio da soja na próxima safra, passando de 2,1 para 2,2 milhões de hectares, de acordo com Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Famasul). Com produtividade média estimada em três mil quilos por hectare, a produção pode atingir 6,6 milhões de toneladas e representar aproximadamente 8% da produção nacional. No ciclo 2012/13, o Estado colheu 6 milhões de toneladas, o que representou um crescimento de 20% em relação à safra anterior.

Sobre o Sistema Famasul – O Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS) é um conjunto de entidades que dão suporte para o desenvolvimento sustentável do agronegócio e representam os interesses dos produtores rurais de Mato Grosso do Sul. É formado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Fundação Educacional para o Desenvolvimento Rural (Funar), Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS) e pelos sindicatos rurais do Estado.

O Sistema Famasul é uma das 27 entidades sindicais que integram a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Como representante do homem do campo, põe seu corpo técnico a serviço da competitividade da agropecuária, da segurança jurídica e da valorização do homem do campo. O produtor rural sustenta a cadeia do agronegócio, respondendo diretamente por 17% do PIB sul-mato-grossense.