Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 24 de Outubro de 2021

Economia

Conab comercializa mais de 184 mil toneladas de produtos

No caso do milho, serão duas operações de Valor de Escoamento do Produto (VEP), que venderão, ao todo, 51,2 mil t de grãos, todos provenientes de Mato Grosso

Conab

30 de Março de 2011 - 17:33

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), empresa vinculada ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, vai comercializar 184,5 mil toneladas de milho, arroz e sisal, nesta quinta-feira, 31 de março.

No caso do milho, serão duas operações de Valor de Escoamento do Produto (VEP), que venderão, ao todo, 51,2 mil t de grãos, todos provenientes de Mato Grosso. Poderão participar desses leilões avicultores, suinocultores, bovinocultores de leite, cooperativas de criadores de aves, de suínos e de bovinos de leite, indústrias de ração para avicultura e suinocultura e indústrias de insumo para ração animal. Todas devem estar estabelecidas exclusivamente nas regiões Norte, Nordeste, Norte do estado de Minas Gerais e nos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Já o Prêmio para Escoamento de Produto (PEP) vai negociar 130 mil t de arroz em casca, safras 2010/2011. Deste total, 100 mil t são do Rio Grande do Sul; 10 mil t, de Santa Catarina; 10 mil t, do Mato Grosso do Sul; e 10 mil t, do Paraná. Indústrias de beneficiamento ou de transformação e comerciantes estão aptos a participar do leilão. Os participantes não podem ser das regiões Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste e dos estados de Tocantins, Rondônia e Pará. Também estão fora países como Argentina, Paraguai, Uruguai e Suriname.

Outra operação de Prêmio para Escoamento de Produto (PEP) comercializará 3,2 mil t de sisal bruto da safra 2010/2011 – com 3 mil t da Bahia, 150 t da Paraíba e 100 t do Rio Grande do Norte. Poderão participar deste leilão indústrias de beneficiamento e comerciantes que não sejam dos estados produtores da fibra a ser vendida nesta quinta-feira. O valor será pago ao participante que comprovar a compra do produto de produtor rural e/ou sua cooperativa por valor não inferior ao preço mínimo fixado pelo governo federal.