Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 8 de Dezembro de 2021

Economia

Gás natural vai ter reajuste de 4,45% para o consumidor a partir de segunda

A partir de 2014, com a inauguração da fábrica de fertilizantes da Petrobras em Três Lagoas, as vendas deverão crescer ainda mais.

Campo Grande News

16 de Agosto de 2013 - 15:39

A partir da próxima segunda-feira (19), os 2,2 mil consumidores de gás natural de Mato Grosso do Sul vão pagar 4,45% a mais pelo produto. O aumento é resultado do reajuste de 2,9%, autorizado, nesta sexta-feira (16), pela Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos). O reajuste deverá elevar o custo do gás veicular ao consumidor de R$ 1,959 para R$ 2,04.

Segundo o diretor-presidente da MS Gás (Companhia de Gás), Lucio Murilo Barros, apesar da elevação, o gás natural continuará competitivo em relação ao botijão de gás. “Sem contar que o produto é mais seguro”, destacou.

Questionado sobre os motivos de o consumidor arcar com aumento superior ao autorizado pela Agepan, Barros disse que a tarifa é composta por vários índices. “Um impacta no outro”, explicou.

Por isso, a partir de segunda-feira, o gás encanado passará de R$ 1,004 para R$ 1,235 por metro cúbico. O diretor-presidente da MS Gás frisou ainda que esse é o primeiro e único aumento do produto neste ano.

Expansão - De 2007 para 2012, o número de consumidores quase quadruplicou no Estado, passando de 580 para 2,2 mil. “Em Campo Grande, a maioria dos clientes são moradores de prédios e condomínios”, detalhou.

A previsão, de acordo com Barros, é ampliar ainda mais o mercado. “Nossa meta, é encerrar 2013 com três mil clientes”, afirmou. Neste ano, a média de consumo é de 220 mil metros cúbicos por dia.

A partir de 2014, com a inauguração da fábrica de fertilizantes da Petrobras em Três Lagoas, as vendas deverão crescer ainda mais. Segundo o diretor-presidente, a MS Gás está investindo em torno de R$ 15 milhões para levar o produto até a empresa.

“As obras de expansão da rede estão em andamento, até o final de outubro deste ano, vamos levar os dutos”, informou. Bairros fez questão de frisar que o investimento não irá encarecer o produto para os demais consumidores. “O aumento das vendas e os gastos estão programas e não irão impactar em nada os demais clientes”, assegurou.

Gás veicular - Os motoristas vão pagar, pela primeira vez, mais de R$ 2,00 pelo metro cúbico de gás veicular em Campo Grande. Conforme pesquisa da ANP (Agência Nacional do Petróleo), o preço médio está em R$ 1,959 em Campo Grande. O valor poderá passar para R$ 2,0461.

No Estado, o valor médio está em R$ 1,961, oscilando entre R$ 1,949 e R$ 1,989.