Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 9 de Dezembro de 2021

Economia

Preço baixo faz produtores de Mato Grosso do Sul estocarem milho safrinha

Com o valor baixo, os silos existentes não foram suficientes para o armazenamento do grão. Outro empecilho enfrentado foi à soja que ainda estava sendo estocada.

Dourados Agora

27 de Agosto de 2013 - 08:09

Os produtores rurais de Mato Grosso do Sul enfrentaram uma série de problemas este ano na colheita do milho safrinha. O primeiro ponto negativo foi o baixo preço, que ocasionou na falta de pontos para o armazenamento porque os produtores não venderem a produção. Uma medida paliativa adotada pelos armazéns e pelos próprios agricultores foram os silos bag. Sem espaço nos silos convencionais, o armazenamento nesse modelo vai proporcionar mais tempo para venda futura.

Este ano, o valor comercializado pela saca do milho não ultrapassou os R$ 17. No mesmo período do ano passado, o preço da saca do grão variava entre R$ 25 e R$ 27. Um dos motivos para o alto valor era a exportação para os Estados Unidos, que não teve uma boa produção na safra 2011/12.

Com especulações de uma boa safra nos Estados Unidos, o preço do milho caiu. Mas a possibilidade de estiagem e até mesmo geadas no país, podem fazer com que os preços voltem a subir no Brasil.

Segundo o Manoel Eduardo Abreu, gerente operacional, da Cooperativa Agropecuária de Sul-mato-grossense, este ano os produtores estavam colhendo e o preço abaixando, contrários ao início da safra do ano passado.

“A maioria dos produtores estavam colhendo e vendendo a produção por conta do mercado estar oferecendo um valor alto na safra passada. Este ano, no início da colheita o valor estava bem acima do comercializado atualmente que caiu com o decorrer da colheita” explicou Manoel.

Com o valor baixo, os silos existentes não foram suficientes para o armazenamento do grão. Outro empecilho enfrentado foi à soja que ainda estava sendo estocada.

“Este ano nosso silos estavam com mais de 200 mil sacas de soja. No ano passado, a cooperativa estava com 50 mil sacas. Estamos com 140 mil sacos de milho estocados em silos bag, que foi uma forma encontrada para poder vender com preços melhores no futuro”, enfatizou.

De acordo com o produtor rural, Darci Decian, muitos agricultores não fizeram contratos futuros do milho e os que firmaram praticaram valores abaixo do ano passado, mas que estão acima do comercializado no mercado hoje.

“A expectativa era que os valores chegassem pelo menos próximos aos da safra 2011/12. Muitas fecharam contrato a R$ 19, abaixo dos R$ 27 do ano passado, mas acima dos valores da saca do milho atualmente”, ressaltou o produtor.

O agricultor enfatiza ainda, que a falta de pontos para a estocagem foi um problema enfrentado pela maioria dos produtores do Estado. “O sistema em Mato Grosso do Sul é deficitário e quando temos alguns empecilhos na exportação ou comercialização, temos que encontrar outras formas para guarda a produção”, conclui.