Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 1 de Outubro de 2020

Economia

Preço do aluguel residencial novo subiu acima da inflação em 2019, diz FipeZap

Os valores dos contratos não avançavam mais que o IPCA desde 2013.

G1

16 de Janeiro de 2020 - 08:57

Preço do aluguel residencial novo subiu acima da inflação em 2019, diz FipeZap

O preço médio dos novos contratos de aluguéis residenciais anunciados em 25 cidades brasileiras subiu 4,93% em 2019, acima da inflação do período, que acumulou alta de 4,31%. Os dados são do Índice FipeZap divulgados nesta quinta-feira (16).

Os valores das locações não subiam acima do IPCA desde 2013. Ao descontar a inflação, o preço médio dos contratos registra alta real de 0,60%.

Entre as 25 capitais monitoradas, Florianópolis encerrou o ano com alta de 14,79%, o maior aumento nominal (sem considerar a inflação), seguida por Curitiba (+12,39%) e Brasília (+7,81%).

Quanto às cidades mais representativas no Índice FipeZap, São Paulo encerrou 2019 com alta de 7,60% no valor médio da locação. Esse avanço superou a alta de 7,30%, no ano passado, do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), que reajusta os contratos de aluguel.

Em outra grande capital, no Rio de Janeiro, a variação observada foi de 1,47%.

Preço por metro quadrado

Considerando as 25 cidades monitoradas, o preço médio de locação encerrou 2019 em R$ 29,95 por metro quadrado. Entre as 11 capitais, o município de São Paulo se manteve como a capital com o preço médio de locação residencial mais elevado em R$ 40,10 por metro quadrado.

Em seguida, está Brasília (R$ 31,02/m²), que ultrapassou o registrado para o Rio de Janeiro (R$ 30,65/m²).

Já entre as capitais com menor valor de locação residencial em dezembro, destacaram-se: Goiânia (R$ 16,82/m²), Fortaleza (R$ 17,73/m²) e Curitiba (R$ 20,74/m²).