Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 22 de Outubro de 2020

Economia

Produtores cautelosos devem reduzir área de plantio do milho safrinha

O produtor está vendendo a saca por R$ 56, valor suficiente para pagar os custos e investimentos da fazenda.

Globo Rural

10 de Fevereiro de 2014 - 09:30

Agricultores de Mato Grosso do Sul aceleram a colheita da soja. O objetivo é plantar, o quanto antes, o milho safrinha. Na propriedade de dois mil hectares do agricultor Evandro Biazus, em São Gabriel do Oeste, região norte de Mato Grosso do Sul, ele retira a soja precoce, plantada no começo de outubro.

A produtividade este ano chega a 65 por hectare, aproximadamente 10% mais que no ciclo passado. O produtor está vendendo a saca por R$ 56, valor suficiente para pagar os custos e investimentos da fazenda.

Este é um dos períodos de mais trabalho nas lavouras. Ao mesmo tempo em que as máquinas retiram a soja do campo, na sequência, as plantadeiras aceleram para lançar o milho safrinha. Quanto mais cedo os grãos forem semeados, melhor para o produtor.

A ideia é aproveitar a temporada de chuvas, que termina nos próximos meses. Por isso, o agricultor Cláudio Balzan não perdeu tempo para começar o plantio e vai cultivar 2,7 mil hectares. "Dá uma diferença de 10 ou 15 sacos lá na frente, então a gente tenta perder o menor tempo possível para o plantio", diz.

Nesta safra, os produtores estão mais cautelosos por causa dos baixos valores de comercialização do grão no estado. A saca de 60 quilos está sendo vendida por R$ 18, valor 30% menor que no mesmo período do ano passado. “O preço desestimulou o produtor a investir na alta produtividade porque a perspectiva é de queda”, explica Maurício Saito, presidente da Aprosoja, Associação dos Produtores de Soja do Estado de Mato Grosso.