Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 23 de Setembro de 2020

Esporte

Irritado com declarações de Dana White, Jon Jones diz que vai abrir mão do cinturão do UFC

Lutador usa frase do general Júlio César em 47 a.C. para deixar claro que já fez tudo o que podia na divisão.

Globo Esporte

31 de Maio de 2020 - 19:13

Jon Jones cansou. O atual campeão dos pesos-meio-pesados do UFC foi às redes sociais neste domingo para avisar que vai abrir mão do cinturão, em meio ao duelo de narrativas com o presidente da companhia, Dana White, sobre uma negociação para subir de peso e enfrentar Francis Ngannou.

A gota d'água foi a entrevista coletiva de White após o "UFC: Woodley x Burns" do último sábado. Na ocasião, o presidente reafirmou que Jones havia exigido até US$ 30 milhões para subir de peso, e acusou o lutador de prejudicar sua própria imagem e valor com seus atos. "Bones" publicou em seguida que White continuava mentindo e o desafiou a liberá-lo de seu contrato.

Mais tarde, veio o post anunciando que ele deixaria o título vago, e sugerindo uma luta entre Dominick Reyes e Jan Blachowicz pelo cinturão. "Reyes x Jan pelo título mundial do peso-meio-pesado do UFC. Neste momento, não tenho nada a ganhar de verdade enfrentando qualquer um deles. Me avisem se vocês quiserem marcar uma data em 2021 para aquela luta contra Izzy. Quem sabe vocês já estarão dispostos a pagar lá", escreveu Jones, sugerindo que seu retorno seria contra Israel Adesanya, campeão dos pesos-médios, com quem já vem trocando farpas desde o ano passado.

Um seguidor perguntou diretamente se aquilo significava que Jones estava abrindo mão do cinturão, e Jones respondeu afirmativamente. "Bones fora", escreveu em outro post, e "Vim, vi e venci ao título do peso-meio-pesado" em outra publicação, usando a famosa frase do general romano Júlio César em 47 a.C. ao descrever uma vitória de seu exército.