Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Maio de 2021

Esporte

Palmeiras cede empate no fim e segue sem vencer a Ponte Preta na arena

Com o resultado, a Ponte Preta alcança o quarto jogo de invencibilidade na arena palmeirense, com duas vitórias e duas igualdades.

Gazeta Esportiva

29 de Janeiro de 2017 - 20:08

O Palmeiras continua sem vencer a Ponte Preta no reformado Palestra Itália. Diante de um público baixo – quase 16 mil torcedores -, o Verdão cedeu o empate por 1 a 1 nos minutos finais do amistoso disputado neste domingo, após Rafael Marques colocar a mão na bola dentro da área. O gol alviverde foi marcado pelo paraguaio Lucas Barrios, que encerrou longo jejum sem balançar as redes.

Com o resultado, a Ponte Preta alcança o quarto jogo de invencibilidade na arena palmeirense, com duas vitórias e duas igualdades. Já o técnico Eduardo Baptista chega ao segundo empate no Verdão. O treinador estreou com um 2 a 2 diante da Chapecoense, na Arena Condá, no último dia 21.

A movimentação ofensiva do Palmeiras e o espírito aguerrido da equipes foram dois aspectos que chamaram a atenção no jogo. O clima de amistoso por diversas vezes ficou em segundo plano e desentendimentos foram flagrados entre os altetas. A Ponte Preta, inclusive, teve João Vitor expulso aos oito minutos do segundo tempo.

Assim como esperado, o gramado do Palestra Itália apresentou algumas falhas e uma excessiva quantidade de areia em uma região próxima à bandeirinha de escanteio do Gol Norte.

A estreia oficial do Palmeiras na temporada será no próximo domingo, contra o Botafogo-SP, no Palestra Itália, pela primeira rodada do Campeonato Paulista. Já a Ponte Preta iniciará o Estadual no mesmo dia, diante da Ferroviária, no estádio Moisés Lucarelli.

O Jogo – A velocidade do setor ofensivo colocou o Palmeiras em vantagem no primeiro tempo. A equipe teve grande atuação até a metade da etapa inicial e criou as melhores oportunidades. A primeira, aos sete minutos, surgiu após uma cobrança de lateral de Zé Roberto colocar Willian na frente do gol. Ele tocou na saída de Aranha e por pouco não marcou.

O Palmeiras também se beneficiou da visão de jogo do volante Felipe Melo, que distribuiu bons passes para municiar o ataque. Aos 15 minutos, o camisa 30 preferiu carregar a bola em direção à área e arriscou um chute que passou perto da trave direita.

Aos 19 minutos, o Palmeiras protagonizou o lance mais impressionante da partida. Willian rolou dentro da área para Tchê Tchê, que finalizou na trave. O rebote foi para o centro da área, onde Dudu dominou e tocou para Róger Guedes chutar em cima de Aranha. Em novo rebote, Dudu cruzou rasteiro e Raphael Veiga carimbou o travessão.

Após uma queda no ritmo, o Palmeiras se reencontrou nos instantes finais do primeiro tempo. Aos 39 minutos, Tchê Tchê chutou de fora da área e quase mandou no canto superior esquerdo do gol de Aranha. Aos 44, Jean cobrou uma falta na ponta direita e Edu Dracena testou por cima.

O Verdão voltou do intervalo com Lucas Barrios e Vitinho nas vagas de Willian e Raphael Veiga. Logo aos dois minutos, Dudu bateu escanteio e Vitor Hugo cabeceou próximo ao gol. Aos oito, João Vitor deu uma rasteira em Tchê Tchê, recebeu o segundo cartão amarelo e deixou a Ponte Preta com um jogador a menos.

Aos 13 minutos, Eduardo Baptista promoveu a estreia de Michel Bastos no lugar de Felipe Melo, que foi ovacionado pela torcida. “O bagulho é louco, Felipe Melo é estilo cachorro louco”, cantou a principal organizada do Palmeiras.

Barrios, aos 19 minutos, teve a primeira chance de se consagrar ao receber um passe primoroso de Michel Bastos. Livre de marcação e com Aranha batido, o paraguaio conseguiu a proeza de chutar para fora.

Aos poucos os torcedores diminuíram o entusiasmo com todo o time e optaram pelo silêncio. A Ponte Preta aproveitou a apatia e ameaçou duas vezes. Aos 25 minutos, Ravanelli invadiu a área pela direita e chutou rente à trave de Fernando Prass. Dois minutos depois, o meia chutou de fora da área e exigiu grande defesa do goleiro alviverde.

A resposta veio aos 29 minutos. Barrios, que vinha sofrendo com os apupos da torcida desde o gol perdido, subiu mais alto do que a marcação rival e cabeceou um cruzamento de Zé Roberto direto para o gol. O atleta comemorou com gestos para espantar o azar, já que não balançava as redes desde 7 de agosto do ano passado.

Quando a torcida já não esperava mais emoções, o árbitro assinalou um pênalti ao flagrar Rafael Marques colocando a mão na bola dentro da área, aos 42 minutos. Ramon foi para a cobrança e mandou no canto oposto do goleiro Jailson, igualando o placar.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 1 PONTE PRETA

Data: 29 de janeiro, domingo
Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo (SP)
Assistentes: Rogério Zanardo e Alex Ribeiro (ambos de SP)
Público: 15.878
Renda: R$ 795.982,50
Cartões amarelos: Vitinho (Palmeiras); William Pottker, Wendel, João Vitor, Matheus Jesus e Jadson (Ponte Preta)
Cartão vermelho: João Vitor (Ponte Preta)

GOLS:
PALMEIRAS: Lucas Barrios, aos 29 minutos do segundo tempo
PONTE PRETA: Ramon, aos 44 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass (Jailson); Jean (Fabiano), Edu Dracena (Thiago Martins), Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio); Felipe Melo (Michel Bastos), Róger Guedes (Erik), Tchê Tchê (Thiago Santos), Raphael Veiga (Vitinho) e Dudu (Rafael Marques); Willian (Lucas Barrios)
Técnico: Eduardo Baptista

PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba (Emerson), Kadu (Marllon), Fábio Ferreira (Reynaldo) e Jeferson (Fábio Braga); João Vitor, Wendel (Ravanelli) (Erick Salles) e Matheus Jesus (Jadson); Clayson (Naldo), Lucca (Lins) e William Pottker (Ramon)
Técnico: Felipe Moreira