Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 26 de Maio de 2022

Esporte

Suspensão de Blatter provoca crise que pode até adiar eleição

Todos negam as acusações, mas já sofrem o desgaste criado pela investigação nas contas da Fifa

GAZETA ESPORTIVA

09 de Outubro de 2015 - 17:00

O homem mais importante do futebol mundial não pode agir ou falar em nome da entidade que preside. A situação dá uma ideia da profundidade do poço em que a Fifa se enfiou nos últimos meses. Mas a suspensão determinada pelo Comitê de Ética pode se transformar em prolongamento do mandato de Joseph Blatter.

Segundo especula Michel D’Hooghe, membro do Comitê Executivo da Fifa, a eleição marcada para fevereiro de 2016 pode ser adiada frente à crise institucional vivida pela entidade. “Sou um dos membros que cobraram por um encontro emergencial do Comitê”, afirma, sem descartar que na ata desta reunião pode estar a definição de uma nova data para o pleito.

“Por enquanto não há informações sobre isto, mas a esta altura pode ser discutido em reunião”, pondera D’Hooghe. O encontro do Comitê Executivo está marcado para o próximo dia 20.

Blatter, que prometeu “dar um passo atrás” e deixar a Fifa após 17 anos, está suspenso por três meses pelo Comitê de Ética da entidade máxima do futebol. Outros dois suspensos são Michel Platini, presidente da Uefa e Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa. O trio de maior poder no futebol está sob suspeita de desvio de dinheiro.

Todos negam as acusações, mas já sofrem o desgaste criado pela investigação nas contas da Fifa. Os 90 dias não representam uma suspensão, mas o tempo determinado ao Comitê de Ética para apurar as suspeitas. Platini seria candidato na eleição de fevereiro e está impedido de “fazer campanha” até semanas antes do pleito.

Outro candidato seria o sul-coreano Chung Mong-Joon, banido por seis anos por supostas ilegalidades nas escolhas das sedes das Copas de 2018 e 2022.