Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 20 de Setembro de 2021

Mato Grosso do Sul

MS registra recorde de financiamentos imobiliários em 2021

O montante disponibilizado foi 99,24% superior ao negociado no mesmo período do ano passado.

Correio do Estado

24 de Julho de 2021 - 09:29

MS registra recorde de financiamentos imobiliários em 2021
- Foto: Agência Brasil

Mato Grosso do Sul registrou recorde em financiamentos imobiliários no primeiro semestre de 2021. De janeiro a junho, foram desembolsados R$ 1,13 bilhão em recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) para 4.446 unidades habitacionais. O montante disponibilizado foi 99,24% superior ao negociado no mesmo período do ano passado.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o desempenho é recorde para o Estado. No primeiro semestre de 2020, foram R$ 569,820 milhões em recursos e 2.395 unidades. Para o presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul (Creci-MS), Eli Rodrigues, o mercado imobiliário continua vivendo uma das suas melhores fases.

“Os clientes esperavam um momento oportuno para a compra ou a troca de um novo imóvel que atendesse a sua necessidade de espaço e conforto. Tudo isso levando em consideração a atual realidade de preços e de financiamentos mais acessíveis”, afirma.

Somente no comparativo entre junho de 2020 e o mês passado, o Estado teve aumento de 76% em recursos liberados pelo SBPE. No sexto mês do ano passado, foram R$ 118,378 milhões em financiamentos imobiliários, já em junho de 2021, R$ 208,712 milhões financiados.

ALTO PADRÃO

Mesmo diante do aumento da taxa básica de juros (Selic) que chegou a 3,75% ao ano em maio passado, as taxas de juros seguem atrativas segundo especialistas do mercado.

“É natural que o mercado, com a mudança das taxas juros, tornaram mais acessíveis para aquisição dos imóveis de médio e alto padrão, provocando um aquecimento nesse segmento do mercado. Além disso, há ainda o bom momento em que houve um crescimento do agronegócio, gerando um forte investimento diretamente no mercado imobiliário, em especial na Capital”, explica o presidente do Creci-MS.

O diretor da Plaenge, Édison Holzmann, afirma que o consumidor campo-grandense tem buscado imóveis mais amplos e de alto padrão. Como reflexo, o grupo registrou aumento nas vendas, mesmo durante a pandemia.

“As taxas de juros, ampliação de crédito dos bancos, baixos rendimentos de investimentos de renda fixa, mudanças por conta da pandemia, possibilitaram aos clientes a aproveitarem o momento para a realização do seu sonho ou aquisição de imóvel para investimento. Em Campo Grande, especificamente por estar inserida em uma região com agronegócio pujante tornam os negócios imobiliários mais promissores na cidade”, declara.

NACIONAL

Conforme os dados divulgados ontem pela Abecip, o montante financiado no Brasil no 1º semestre de 2021, somou R$ 79,7 bilhões representando uma alta de 133% em relação ao mesmo período do ano passado, continuando a forte crescente de financiamentos no setor.

Ainda segundo a associação, os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas SBPE atingiram R$ 15,3 bilhões em junho de 2021. O montante comparado a junho do ano passado (R$ 7 bilhões), foi 120% maior.