Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Setembro de 2021

Policial

Acusadas de participar da morte de estudante estão em cidades do interior

Segundo investigadores da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente), Dafni Alves de Lima, 18 anos, está em um município na região Sul do Estado

Campo Grande News

13 de Setembro de 2013 - 09:10

As acusadas de participar do assassinato da estudante Luana Vieira Gregório, 15 anos, saíram de Campo Grande. A Polícia já descobriu que elas estão em cidades das regiões sul e oeste do Estado. A jovem de 18 anos, que deu o canivete para a jovem matar a amiga,

O avanço nas investigações da Polícia, com relação à morte de uma estudante de 15 anos, logo após uma briga na saída da escola, avançou não só no sentido de incluir a participação de uma jovem de 18 anos no crime, mas também no paradeiro das envolvidas, que já saíram de Campo Grande.

Segundo investigadores da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e o Adolescente), Dafni Alves de Lima, 18 anos, está em um município na região Sul do Estado. Já a amiga, identificada como uma adolescente de 16 anos, está em uma cidade que faz divisa com o Estado de São Paulo.

Com as informações, os policiais fazem diligências desde a noite de ontem (12). “A intenção é prendê-las o mais rápido possível. Elas são primordiais para o esclarecimento do caso, principalmente para saber como se falaram, já que Dafni foi até a saída da escola”, comenta um dos investigadores.

Novos vídeos - Imagens, além dos quatro vídeos gravados por testemunhas, apontam que Dafni chega a escola munida de um canivete. Em dado momento, ela deixa o objeto cair no chão e quem pega é um garoto, sobrinho do namorado da rival de Luana.

Dafni “entra” na briga e a outra agressora se distancia por alguns segundos e pega a arma, abrindo e direcionando a Luana. Ela, conforme os investigadores, volta para a agressão, dando a facada momentos depois.

Entenda o caso - A briga ocorreu na manhã de quarta-feira (11), na saída da Escola Estadual José Ferreira Barbosa, na Vila Bordon, em Campo Grande. Luana foi levada para a Santa Casa, depois de levar uma facada no abdômen e morreu após duas paradas cardíacas.

A vítima teria sido morta porque borrifou um perfume dentro da sala de aula. A agressora teria se irritado, porque é alérgica, e decidiu se vingar no final do expediente escolar.