Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 24 de Maio de 2022

Policial

Adolescente de 17 anos diz que matou jovem a tiros porque sofria ameaças

O caso é tratado como homicídio doloso, quando há intenção, e o adolescente de 17 anos permanece detido

Midiamax

13 de Novembro de 2015 - 10:08

Na quinta-feira (12), adolescente de 17 anos se apresentou na Deaij (Delegacia Especializada no Atendimento à Infância e Juventude) e confessou ter atirado em Daniela Aparecida Jorge Cunha Bação na segunda-feira (9). A jovem, de 18 anos, estava na casa do ex-padrasto, no Nova Lima, quando foi atingida pelos disparos e morreu no local.

De acordo com a delegada Aline Sinnott, após o adolescente ser identificado, ela representou pela busca e apreensão do jovem. Ele foi até a delegacia, se apresentou, e confessou o crime. Segundo a delegada, ele confirmou que atirou contra Daniela e ainda disse que cometeu o homicídio porque sofria ameaças por parte dela.

Outras pessoas estariam envolvidas no crime e ainda são procuradas pela polícia. O caso é tratado como homicídio doloso, quando há intenção, e o adolescente de 17 anos permanece detido.

Relembre o caso

De acordo com testemunhas, Daniela, que morava no Portal Caiobá, estava na frente da casa do ex-padrasto quando duas pessoas em uma motocicleta vermelha passaram atirando. A jovem ainda teria corrido em direção a casa para se proteger, mas acabou morrendo no quintal. Militares do Corpo de Bombeiros tentaram reanimar a vítima, mas sem sucesso.

O ex-padrasto da jovem estava dormindo na casa quando ouviu os tiros e saiu para ver o que era, quando encontrou Daniela já morta. Vizinhos relataram que a residência é de aluguel e a rotatividade e inquilinos é grande. “Não para ninguém nessa casa”, disse um deles.

Pessoas próximas à vítima chegaram a comentar que ela sofria ameaças do ex-namorado, que está preso. Daniela deixou uma filha de 5 meses, que teve com o então suspeito de ser mandante do crime.