Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 23 de Setembro de 2020

Policial

Autor da morte de Lanzarini está em mata ou no Paraguai, suspeita polícia

Buscas são feitas com apoio de helicóptero e drones e delegados vão se reunir com policiais de Capitán Bado para pedir apoio.

Campo Grande News

27 de Fevereiro de 2020 - 13:41

Três dias depois de buscas intensas, a polícia de Mato Grosso do Sul vai pedir apoio a policiais do Paraguai para tentar prender Luis Fernandes, 54, o “Paraguaio”, autor do assassinato do assessor especial do Escritório de Gestão Política do governo do Estado e ex-prefeito de Amambai Dirceu Lanzarini.

Com prisão preventiva decretada pela Justiça, ele também foi indiciado pela tentativa de assassinato do genro do político, Kesley Aparecido Vieira Matricardi, 33, baleado no ombro e de raspão no pescoço.

Policiais que atuam nas investigações acreditam que Luis Fernandes esteja escondido no mato ou tenha conseguido chegar ao território paraguaio. Amambai fica a 40 quilômetros de Capitán Bado, cidade paraguaia vizinha de Coronel Sapucaia (MS).

Nesta quinta-feira (27), a Secretaria de Justiça e Segurança Pública informou que o titular da Defron (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira) Ricardo Cavagna e o delegado da Policia Civil em Amambai Marcos Werneck vão se reunir com autoridades de Capitán Bado para tratar sobre as buscas inclusive no país vizinho.

Em nota encaminhada pela assessoria de comunicação, a Sejusp afirma que as buscas continuam, com participação de equipes da inteligência e apoio do helicóptero do GPA (Grupamento de Policiamento Aéreo). Drones também são utilizados para fazer varredura em matas e fazendas da região. As buscas são feitas inclusive de barcos pelos rios que cortam a linha de fronteira.

O crime – Funcionário há dez anos da Fazenda Palmeiras, onde ocorreram os crimes, Luis Fernandes foi indiciado por homicídio qualificado por recurso que impossibilitou a defesa da vítima e porte de arma de uso restrito. Também foi indiciado pela tentativa de homicídio contra Kesley Matricardi.

Os desentendimentos entre Fernandes e Dirceu Lanzarini começaram porque patrão e funcionário discordavam quanto a valores de comissões sobre a produção da fazenda, segundo mostra a investigação policial.

Na segunda-feira (24), Lanzarini e o genro foram até a fazenda, a 30 km do centro urbano de Amambai, onde se encontraram com Luis Fernandes. Eles não chegaram a descer da caminhonete S10 que ocupavam. Fernandes já estava com a arma na cintura, o que indica crime premeditado, segundo a polícia.

Lanzarini teria questionado o funcionário sobre o motivo de ainda não ter feito o plantio de soja em determinada área da fazenda. Ao lado da caminhonete, Luis Fernandes entendeu a pergunta como um insulto e teria respondido: “está nervoso por que”? Em seguida, sacou a arma e começou a atirar de curta distância.

Kesley, que estava na direção da caminhonete, acelerou para fugir enquanto o autor descarregava o revólver na direção deles. Lanzarini foi atingido por único tiro na cabeça e morreu no Hospital do Coração, em Dourados. Kesley foi atingido por um tiro, que o acertou no braço, transfixou e atingiu o pescoço, de raspão. Antes de desaparecer, Luis Fernandes ligou para a família e contou o que tinha ocorrido.