Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 8 de Dezembro de 2021

Policial

Bandidos amarram família e sequestram mulher para levar caminhões e R$ 50 mil

A vítima disse a Polícia que ainda tentou pedir socorro, mas foi impedido pelo outros homens que chegaram a casa. Dos cinco, três estavam armados.

Campo Grande News

30 de Setembro de 2013 - 13:00

Uma família, incluindo uma criança com deficiência física, foi feita refém de cinco bandidos na madrugada de sábado (28), no bairro Guanandi, em Campo Grande. De acordo com as vítimas, que foram amarradas e mantidas em cárcere, os assaltantes exigiam a todo o momento a chave de dois caminhões que estavam na casa e falavam a todo momento que possuíam um “informação quente” de que R$ 50 mil estavam guardados na casa.

Com o barulho dos cachorros, por volta das 1h, a mulher de 40 anos abriu a porta para ver o que estava acontecendo. Ela se deparou com um homem que estava apontando a arma em sua direção. A vítima disse a Polícia que ainda tentou pedir socorro, mas foi impedido pelo outros homens que chegaram a casa. Dos cinco, três estavam armados.

Eles renderam também uma senhora de 59 anos e a neta. Todas foram amarradas enquanto os bandidos pediam a chave dos dois caminhões. A dona da casa então informou que o marido estava viajando com um dos caminhões e, sobre o outro, estava estacionado lá, porém a chave estava com um funcionário que só apareceria hoje.

“Eles mantiveram a vigilância nas vítimas, deixando as trancadas para vasculhar a casa. Levaram eletrodomésticos, televisores, um notebook e um vídeo game Xbox, colocando tudo em um veículo Santana”, afirma a delegada Maria de Lourdes Cano, responsável pelas investigações.

A senhora e a neta ficaram em casa enquanto os bandidos levaram a mulher de 40 anos no veículo. Ela diz que escutou a conversa de que eles iriam para o bairro Aero Rancho, porém ela foi levada para uma favela e em seguida um matagal no Jardim Itamaracá. Assim que conseguiu escapar, entrou em contato com a Polícia.

O caso já está sendo investigado pela Defurv (Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos). Mais uma vez, existe a suspeita do crime ter como mentor um detento da Máxima.