Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 16 de Maio de 2021

Policial

Bandidos morrem após fazerem vítima refém e trocar tiros com policiais

Os suspeitos chegaram a ser socorridos, mas não resistiram. Duas armas foram apreendidas, um revólver calibre 38 e uma pistola .40.

Campo Grande News

17 de Fevereiro de 2017 - 08:09

Duas pessoas foram mortas ao trocarem tiros com policiais do Batalhão de Choque, na madrugada de hoje (16), em Campo Grande. A primeira abordagem ocorreu na Rua Albert Sabin, Vila Taveirópolis, em frente a um supermercado. Um dos suspeito ainda tentou fazer um motociclista refém e o desenrolar da ocorrência foi na avenida Lúdio Martins Coelho.

Segundo a polícia, equipe do Batalhão de Choque fazia rondas na região e ao tentar abordar três homens em um veículo Celta, de cor cinza, houve tentativa de fuga e tiroteio. Um dos homens ainda fez um entregador de pizza refém e atirou contra a viatura. Nenhum policial ficou ferido. Os nomes dos dois mortos ainda não foram informados.

Os suspeitos chegaram a ser socorridos, mas não resistiram. Duas armas foram apreendidas, um revólver calibre 38 e uma pistola .40. O motorista que conduzia o carro não reagiu à abordagem e foi encaminhado à delegacia para prestar esclarecimentos. Ele relatou à polícia que recebeu dinheiro para transportar os dois homens, mas não sabia que eram bandidos.

Casos - De janeiro até agora, nove suspeitos já morreram em troca de tiros com a polícia. No dia 29, Aguinaldo Ricalde Sanchez, 19 anos, morreu após trocar tiros com policiais militares do Batalhão de Choque, no Jardim Noroeste. Com o rapaz , foi encontrada uma arma que tinha gravado o número 1533, que representa a siga PCC, (P é a 15ª letra do alfabeto, enquanto o C é a 3ª, formando o código da facção criminosa.

No dia 30 de Janeiro, quatro homens foram mortos por policiais do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), ao invadir para furtar a agência da ETC (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos), na rua Doutor Arthur Jorge, região central. Vital Carvalho da Fonseca, 31 anos, Luiz Carlos Geovani, 31 anos, Kelver Carvalho de Oliveira, 25 anos, Diogo Pires Egídio, 16 anos, chegaram a ser socorridos, mas morreram na Santa Casa.

No dia 31, Anderson Ayala Lopes, 18 anos, e o comparsa dele, foram mortos no momento em que tentavam roubar um veículo. Eles tinham invadido uma casa e amarrado com fio de ferro a vítima de 52 anos, proprietário do automóvel.