Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 27 de Janeiro de 2022

Policial

Criança morta por espancamento já teria sido agredida antes, denuncia parente

Um familiar que falou que a família havia pedido a guarda da criança, mas que a papelada demorou em sair. O motivo do pedido é que eles desconfiavam que o menino já tivesse sido agredido.

Dourados Agora

23 de Outubro de 2013 - 08:37

A polícia de Dourados investiga denúncias de parentes do menino de 1 ano e 9 meses, morto após sofrer espancamento, de que ele já teria sido agredido antes, supostamente pelo acusado.

Segundo a polícia, há cerca de um ano, desde que a mãe se separou do pai biológico do menino e passou a viver com o acusado, parentes desconfiaram que a criança tivesse sofrido agressão tempos atrás.

Um familiar que falou que a família havia pedido a guarda da criança, mas que a papelada demorou em sair. O motivo do pedido é que eles desconfiavam que o menino já tivesse sido agredido. "Um dia ele apareceu com o olho todo roxo", disse a parente. Ele confessou que agrediu a criança durante o banho. O homem estava alcoolizado e caiu sobre o menino que começou a chorar. Ele chutou, deu socos e pontapés e acabou sofrendo politraumatismos e parada cardiorrespiratória. A criança foi reanimada pelos socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e morreu ao dar entrada no hospital de Dourados.

Conforme registrado em boletim de ocorrência da Polícia Civil, na segunda-feira, Davidson estava em casa na Rua das Abacateiras, no Jardim Colibri, cuidando da criança, enquanto a mãe de 20 anos trabalhava no shopping.

Entre 15h e 17h, a criança dormiu. O padrasto que já havia ingerido vodka em casa, bebia cerveja num bar perto dali e chegou meia hora depois. Ele foi dormir e acordou por volta das 21h.

Depois de acordar, ele caiu, durante o banho, sobre a criança que começou a chorar, foi espancado e desmaiou. Ele tentou reanimar o enteado embaixo do chuveiro, mas não adiantou.

Ele contou à delegada que mandou mensagem para a mulher dele, mãe da criança, informando que havia caído sobre o menino no banheiro e o filho estava machucado. Ela retornou pedindo que não deixasse a criança dormir e chegou cerca de 20 minutos depois.

De acordo com o depoimento, enquanto a mulher não chegava, o homem colocou o menino sobre a cama. Ela chegou e acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Davidson, que a princípio negou o crime dizendo que o enteado havia caído, acabou confessando, depois de ter sido confrontado pelos médicos que atenderam o menino. Ele foi autuado em flagrante por homicídio triplamente qualificado e vai permanecer preso à disposição da Justiça em cela isolada.

Há algumas semanas, o guardador de carros que atuava há anos nas cercanias do shopping de Dourados foi preso depois de espancar até a morte o filho de uma 'funcionária', que trabalhava para ele e morava 'de favor' na casa.