Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 5 de Maio de 2021

Policial

Em ano violento, uma pessoa foi assassinada a cada três dias na Capital

O elevado e negativo percentual de violência expõe constante sensação de insegurança da população campo-grandense.

Correio do Estado

22 de Dezembro de 2016 - 13:26

A uma semana para o fim de 2016, estatísticas da segurança pública comprovam que o ano foi violento em Campo Grande. Tanto crimes contra pessoas quanto patrimônios, índices foram altos nestes 356. Média indica que uma pessoa foi assassinada a cada três dias na Capital. Diariamente, foram praticados cerca de 20 roubos e registradas 42 ocorrências de furtos.

O elevado e negativo percentual de violência expõe constante sensação de insegurança da população campo-grandense. Entre as vítimas de ações de criminosos, está a dona de casa Adelaide de Fátima, que mora na região sul da Capital e teve a casa invadida por ladrões três vezes. “Nos primeiros dias que me mudei entraram e levaram vários objetos. Instalei cerca elétrica e mesmo assim, entram novamente. Da última vez, bandidos tiveram a audácia de até comer dentro da minha casa. Diante de tudo isso me sinto impotente. Sem poder fazer nada”, reclamou.

Com relação ao crime de furto – quando praticado sem violência, de 1º de janeiro até ontem, foram 15.072 casos, representando média de 42 crimes por dia, de acordo com a Secretaria de Estado e Segurança Pública (Sejusp). Quanto aos roubos, foram 7.196 que dá média de 20 ocorrências diárias.

HOMICÍDIOS

Outro número que chama atenção está relacionado a crimes contra a vida. Desde o começo do ano, 119 pessoas foram assassinadas na Capital, sendo média de uma morte a cada três dias.

Em comparação ao ano passado, o número é menor. Dados da Sejusp mostram 125 homicídios em 2015. No entanto, vale lembrar que, por falta de pagamento, o sistema da polícia esteve indisponível por um mês e muitas ocorrências policiais deixaram de ser registradas. Além disso, há casos em que houve violência contra a pessoa, registrados como morte a esclarecer que não entram nessa estatística.

CASO RECENTE

Um dos mais recentes assassinatos ocorridos na Capital foi do jovemVitor Hugo Gomes Fernandes, 20 anos. Na ocasião, outro rapaz foi baleado. O crime aconteceu na madrugada de sexta-feira. Segundo a polícia, os dois conversavam em trecho da Avenida das Bandeiras, nas imediações do Bairro Nhanhá, quando foram surpreendidos por disparos. 

Thiesero Luan Quevedo dos Santos, de 23 anos,​ apresentou-se ontem à polícia e confessou autoria no crime, alegando que havia  'ficado' com a esposa de Vitor e desde então sofria ameaças. 

NÚMEROS

No Estado, índices da segurança pública mostram, ainda, que 503 pessoas foram assassinadas, 10.882 roubos e 36.660 furtos foram praticados.