Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 22 de Julho de 2024

Policial

Estudo em MS mostra que 72,5% dos caminhoneiros cumprem descanso

O levantamento da PRF mostra ainda que 72,47% dos caminhoneiros cumpriram intervalo mínimo de 11 horas para repouso diário

G1 MS

12 de Setembro de 2012 - 16:16

Muitos caminhoneiros que trafegam em Mato Grosso do Sul já se adequam às novas normas de jornada de trabalho nas estradas, previstas na Lei 12.619. Pesquisa feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), divulgada nesta terça-feira (11), aponta que 72,51% dos motoristas estão fazendo pausas de 30 minutos durante o trajeto.

Para o levantamento, foram feitas 3.052 entrevistas entre 10 e 18 de agosto, em um universo de circulação diária de 7 mil veículos pesados nas rodovias federais do estado. A fiscalização punitiva para os condutores que desrespeitarem a legislação começa nesta quarta-feira (12).

Segundo a pesquisa, 64% dos entrevistados declararam que estão fazendo o intervalo a cada quatro horas de direção. Outros 29,91% disseram que estão fazendo a pausa entre quatro e oito horas.

O superintendente da PRF em Mato Grosso do Sul, inspetor Ciro Ferreira, afirma que os números indicam que o condutor de caminhão está se adequando a norma. “A pesquisa foi feita para saber como os motoristas estão se comportando. Também é uma preparação para fiscalização mais eficiente e levantamento do perfil do condutor e locais de descanso”, explica.

O levantamento da PRF mostra ainda que 72,47% dos caminhoneiros cumpriram intervalo mínimo de 11 horas para repouso diário. Questionados se lei reduzirá acidentes, 79,97% dos condutores acreditam que 'sim'.

Pontos de parada
Postos de combustíveis continuam sendo os principais locais de descanso para 50,27% dos motoristas de caminhão, de acordo com a PRF. 15,2% procuram estabelecimentos comerciais para o repouso, 2,58% param em postos da PRF e 31,96, em outros locais.

“Vamos direcionar fiscalização para esses pontos de parada”, afirma Ferreira. Conforme a PRF, a BR-163 é a rodovia mais estruturada com pontos de apoio. Por outro lado, o trecho de 190 km da BR-060 entre Camapuã e Chapadão do Sul é o mais carente de estrutura.

O levantamento apontou também que 33,21% dos veículos abordados eram de Mato Grosso do Sul, 26,21% do Paraná, 14% de São Paulo e 10,89% originários de Santa Catarina.