Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Maio de 2021

Policial

Ex-marido que matou médica por não aceitar separação é preso no Paraguai

Rafael foi levado para a Seção de Investigação de Delitos da Polícia Nacional, em Pedro Juan Caballero, de onde foi transferido para o Brasil.

Correio do Estado

15 de Dezembro de 2016 - 08:05

Rafael dos Santos, de 35 anos, foi preso por volta das 18h de ontem pela Polícia Nacional do Paraguai. O corretor de imóveis é apontado como assassino da ex-esposa, a médica e filha de vereador, Nislaine Colman Benites, 31 anos. Crime aconteceu ontem pela manhã em posto de saúde de Ponta Porã.

De acordo com Ponta Porã News, Rafael foi preso a cerca de 60 quilômetros da fronteira do Brasil com o Paraguai, na região da Colônia de Aquidaban Cañada. Na ocasião, ele seguia para a cidade de Concepción.

Depois de serem comunicadas sobre o assassinato da médica, equipes da Polícia Nacional do Paraguai intensificaram a fiscalização em veículos e pessoas nas estradas de acesso a fronteira. Trabalho dos agentes resultou na prisão do corretor imobiliário.

Rafael foi levado para a Seção de Investigação de Delitos da Polícia Nacional, em Pedro Juan Caballero, de onde foi transferido para o Brasil.

CASO

A médica Nislaine foi assassinada com três tiros desferidos pelo ex-marido Rafael. Crime aconteceu ontem de manhã, no posto de saúde Dr. Nery de Azambuja, que fica no Bairro Jardim Marambaia, na cidade de Ponta Porã.

Nislaine chegou no local de trabalho e foi até a cozinha tomar café, ocasião em que viu que o ex-marido se aproximava, armado. A médica correu e trancou a porta, mas Rafael desferiu um tiro contra a porta e, em seguida, assassinou a mulher com disparos de arma calibre .380. Segundo testemunhas, ele não aceitava o fim do relacionamento.

O corretor de imóveis chegou no posto de saúde em uma motocicleta e, antes de fugir, deixou cair o capacete. A vítima trabalhava no Programa Mais Médicos e é filha do vereador reeleito em Ponta Porã pelo PSDB, Marcos Benites, o Marquinhos.

Há cerca de 40 dias, o corretor teria ido até o local de trabalho da médica e a ameaçou com uma faca. Delegado responsável pelas investigações, Patrick Linares, disse ao Portal Correio do Estado que testemunhas afirmaram que brigas entre o ex-casal eram constantes e ela já havia sido ameaçada várias vezes pelo ex-marido, que não aceitava a separação.