Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 28 de Novembro de 2020

Policial

Golpistas levam pelo menos R$ 100 mil em caixas eletrônicos, diz polícia

Golpes ocorreram em Campo Grande; polícia procura suspeitos. Imagens mostram casal de estelionatários durante "golpe da boquinha".

G1 MS

27 de Fevereiro de 2014 - 14:24

A Polícia Civil procura um casal de estelionatários suspeito de aplicar golpes em caixas eletrônicos de Campo Grande. O delegado Miguel Said, da 1ª Delegacia de Polícia Civil, afirmou ao G1, nesta quinta-feira (27), que eles podem ter levado pelo menos R$ 100 mil no 'golpe da boquinha'. O dinheiro é de saques, empréstimos consignados e compras feitos com as senhas roubadas.

Imagens obtidas pela Polícia Civil, do sistema de monitoramento de dois supermercados e de um banco, mostram uma mulher que foi reconhecida por duas vítimas, mas que a polícia ainda não conseguiu identificar. Um rapaz que teria participado dos golpes também aparece.

Os golpes ocorreram nos dias 10 e 11 de fevereiro, em supermercados da capital sul-mato-grossense. Conforme Said, os suspeitos ficam próximo aos caixas eletrônicos. O homem coloca um dispositivo para reter o cartão na máquina e sai do local. No momento em que a vítima vai realizar a operação, o cartão fica retido e, nesse momento, a mulher oferece ajuda, dizendo que também teve o problema e que está falando com a central de atendimento do cartão. Acreditando que está falando com a central, a vítima fornece informações, como senhas de acesso.

 “Não deem nenhuma informação para pessoas estranhas, não aceite nenhuma ajuda de pessoas estranhas. Procure sempre funcionários devidamente identificados para pedir auxílio”, orienta o delegado.

Said disse ainda que quem for vítima desse tipo de golpe deve entrar em contato com o banco, para ver qual a possibilidade de reverter a situação. Além disso, quem tiver informações sobre os suspeitos deve ligar para a Polícia Civil, no telefone (67) 3312-5725.

Vítima

Uma assistente social de 56 anos diz que ainda não se conformou por ter sido vítima do 'golpe da boquinha'. "Tenho 56 anos, sou uma mulher lúcida. Não me conformo de ter feito isso", declarou.

A mulher conta que, no dia 11 de fevereiro, foi a um caixa eletrônico pagar um boleto e quando colocou o cartão, o objeto ficou preso ao equipamento e uma mulher se aproximou. "Eu não pedi ajuda. Ela [suspeita] já veio batendo na tela".

Segundo a assistente social, a suspeita fez uma ligação do celular dela e entregou o telefone para a mulher. "Eu pensei que estivesse falando com alguém do banco", lembra a vítima, que passou dados pessoais ao interlocutor e só se deu conta que tinha caído em um golpe ao chegar em casa. "Eu falei para o meu marido que o cartão havia travado. Ele falou que era golpe e então liguei no banco e constatei".

Os golpistas fizeram compras, saques e empréstimos com os dados da assistente social. "Fiquei com uma dívida de R$ 40 mil da noite para o dia, sem gastar nada e sem ter o que fazer", lamenta. Ela já conseguiu reaver parte do que foi 'tirado' dela.

Agora, o que a vítima quer é que os estelionatários sejam presos. "Para que não aconteça com mais ninguém". E orienta. "Quem fez isso tem conhecimento de banco. As pessoas não devem deixar ninguém chegar perto quando estiverem em caixas eletrônicos. Você não espera que vai cair em um golpe".