Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 10 de Agosto de 2022

Policial

Indígena morre atropelado e rodovia é bloqueada em protesto

Os indígenas afirmam que muita gente morreu em acidentes no trecho da rodovia, conhecida como perimetral da morte.

Dourados Agora

23 de Setembro de 2015 - 07:10

O indígena Miguel Brites, 59 anos, morreu depois de ser atropelado por um caminhão na tarde desta terça-feira (22) no anel viário em Dourados, entre o bairro Monte Carlo e a aldeia Bororó. Depois do acidente, indígenas bloquearam a rodovia em protesto.

De acordo com o site, Brites estava de bicicleta e, quando cruzava a rodovia, foi atingido pelo caminhão, carregado com pedra brita. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado ao Hospital da Vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

O condutor do caminhão foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos e o veículo foi retidos por indígenas da aldeia, que também bloquearam a rodovia com galhos e troncos de árvores.

Os indígenas afirmam que muita gente morreu em acidentes no trecho da rodovia, conhecida como perimetral da morte. O indígena Aderson Machado disse à reportagem do site que o trecho ficará fechado por tempo indeterminado.

A comunidade já pediu, em 2014, redutores de velocidade no local ao ex-governador André Puccinelli. Porém, segundo Machado, foi colocado apenas um sistema de sonorizadores, dispositivo que provoca um ruído quando o veículo passa sobre ele, alertando o condutor sobre uma situação atípica à frente.

Três indígenas morreram na rodovia entre 2014 e 2015. Os indígenas pedem quebra-molas para passagens de pedestres ou redutores de velocidade adequados. Equipes da Polícia Militar Rodoviária acompanham o bloqueio.