Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 29 de Outubro de 2020

Policial

Irmãs confessam ter assassinado jovem encontrada em lagoa

Débora relatou que no dia anterior ao assassinato, ela e sua irmã foram ao Hospital Caiuá onde a vítima estava internada, para fazer visita a uma tia.

Dourados News

28 de Fevereiro de 2014 - 15:39

Na manhã desta sexta-feira (28) as irmãs Débora Garcia, 22 anos, e uma adolescente, de 14 anos, confessaram ter assassinado a indígena encontrada boiando em uma lagoa na fazenda Cristal em Itaporã, no dia 23 de dezembro de 2013.

De acordo com o Itaporã News, a mãe da indígena morta é madrasta das acusadas. Em depoimento ao delegado, Marcelo Batistela Damaceno, Débora afirma que há três anos sofria com provocações da vítima (meia-irmã) e da mãe dela. A menor disse que o pai dela dava mais dinheiro e atenção à meia-irmã do que para ela.

Débora relatou que no dia anterior ao assassinato, ela e sua irmã foram ao Hospital Caiuá onde a vítima estava internada, para fazer visita a uma tia. Ao passarem pelo quarto, avistarem a jovem indígena, que segundo elas, solicitou que não queria mais ficar internada e se seria possível elas a ajudarem sair.

As duas saíram com a meia-irmã do hospital em direção de casa e no caminho a levaram para um canavial onde a espancaram. Ainda consciente e caminhando, a vítima foi levada pelas irmãs para uma lagoa. Lá, jogaram ela no lago, “mas ela não morria”, relatou Débora.

Então tiraram a jovem do lago, a amarraram pelos pés e as mãos, a amordaçaram com a própria roupa da vítima e golpearam com pedradas em várias partes do corpo, uma em sua cabeça, que resultou em traumatismo craniano, causa da morte. Logo depois, as irmãs jogaram o corpo de volta ao lago e foram embora para casa.

A menor foi ouvida e responderá em liberdade, mas Débora foi presa preventivamente, após confessar o crime. O delegado disse que o depoimento de uma testemunha que estava no mesmo quarto da vítima foi imprescindível para que encontrassem as autoras.