Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 18 de Setembro de 2021

Policial

Jacini diz que investigação sobre "mandantes" segue em segredo de justiça

A polícia agora investiga em segredo de justiça quem seriam os mandantes do crime, já que até agora só foram apontados os que efetuaram a morte de Paulo Magalhães

Campo Grande News

16 de Setembro de 2013 - 15:08

O secretário da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), Wantuir Jacini, afirmou hoje durante solenidade no Comando Geral da Policia Militar, que a investigação sobre os “mandantes” do assassinado do delegado aposentado, Paulo Magalhães, segue em segredo de justiça, no entanto ele fez questão de elogiar a atuação da policia civil na prisão dos autores do crime.

“A policia está fazendo um excelente trabalho, tanto que além de descobrir os três autores do crime, já conseguiu fazer as prisões necessárias”. Em relação aos “mandantes” Jacini segue cauteloso e diz que não pode opinar, pois está em segredo de justiça. “Temos que esperar a investigação terminar”, ponderou.

Caso – O delegado Paulo Magalhães foi morto no dia 25 de junho em frente a uma escola particular na rua Alagoas, em área nobre de Campo Grande. Ele foi morto com tiros de pistola calibre 9 milímetros.

No dia 22 de agosto, a DEH (Delegacia Especializada em Repressão a Homicídios) prendeu dois suspeitos pelo homicídio do delegado: O guarda municipal José Moreira de Freitas e Antônio Benites. Já no dia 11 de setembro a policia confirmou que um corpo encontrado sem cabeça, braço e pernas na proximidade do Lixão, pertencia ao terceiro envolvido com o crime, Rafael Leonardo dos Santos.

A polícia agora investiga em segredo de justiça quem seriam os mandantes do crime, já que até agora só foram apontados os que efetuaram a morte de Paulo Magalhães. O delegado aposentado era conhecido por fazer inúmeras denúncias e participar de protestos na Capital.